Advocacia 3.0: por que seu escritório precisa conhecer já

Tempo de leitura: 5 minutos

(Last Updated On: 27 de setembro de 2018)

A tecnologia vem promovendo impactos no mercado como um todo, influenciando a atuação de inúmeros profissionais. No mercado da advocacia, desde que a tecnologia foi incorporada ao dia a dia dos escritórios, toda a prática jurídica vem sofrendo transformações.

Se antes a prestação de serviços jurídicos era feita de forma manual e artesanal, hoje os advogados contam com uma série de recursos tecnológicos que possibilitam a automatização de rotinas e maior agilidade na atuação. Por meio dessas ferramentas digitais o fluxo de trabalho dentro de um escritório de advocacia se transformou completamente.

Essa nova forma de atuação, chamada de “advocacia digital” ou “advocacia 3.0” representa não só uma evolução, como também uma nova maneira de interagir com o mercado. Para saber mais sobre o que é a advocacia 3.0, não deixe de conferir!

advocacia 3.0

A evolução da advocacia

Não faz tanto tempo assim que o trabalho do advogado era feito praticamente de forma manual. Desde o controle de processos, até a redação de peças jurídicas, todas as atividades contavam com procedimentos bastante próprios, realizados de forma artesanal. Além disso, todas as atividades do escritório se centravam no advogado, o que significa que desde o atendimento até o operacional muitas vezes dependiam de ações ou comandos do profissional.



Esse modelo, conhecido como advocacia 1.0, gerava uma prestação de serviços bastante cara e lenta. Embora a qualidade fosse alta, a capacidade de atendimento era limitada e o mercado capaz de pagar por um advogado era bastante reduzido.

Com a chegada dos Juizados Especiais, uma nova demanda surgiu para os advogados. Com maior facilidade e acesso a Justiça, um novo publico passou a requisitar os serviços de advocacia. Somado a isso, recursos como editores de textos e planilhas facilitaram a prestação de serviços, possibilitando mais agilidade e rapidez na hora de assessorar o cliente. Essa fase de transição, onde os recursos tecnológicos ainda eram limitados, permitiu aos advogados a diversificação do perfil de clientes. Além disso, com o uso de ferramentas tecnológicas, as rotinas dos escritórios deixaram de ser absolutamente mecânicas, ganhando alguns contornos da automatização. Essa fase de transição ficou conhecida como a advocacia 2.0.

[Já ouviu falar em automação jurídica? Conheça qual é o futuro do mercado de Direito]

Por fim, com a chegada dos softwares jurídicos, aplicativos, processo eletrônico e certificação digital, os escritórios passaram por uma verdadeira transformação no que se refere às rotinas de trabalho. Hoje, a maioria dos escritórios trabalha de forma segmentada no que se refere ao atendimento, execução e cobrança. Além disso, a produtividade passou a ser uma questão e um diferencial dentro de um mercado altamente competitivo. A chamada advocacia 3.0 já é uma realidade que envolve desde os processos de automação de rotinas, até o cuidado com a experiência do cliente.

Advocacia 3.0: uma nova forma de prestar serviços jurídicos

Uma das principais mudanças promovidas pela advocacia 3.0 diz respeito ao modelo de gestão dos escritórios de advocacia. Se antes todas as atividades eram de certa forma centradas no advogado, hoje a administração do escritório é diluída entre todos os colaboradores e setores. A maioria dos escritórios vem apostando em um sistema de gestão menos hierárquico e mais colaborativo, onde cada colaborador conhece e atua de acordo com uma função específica.

[Os modelos de gestão para escritórios de advocacia mudaram. Saiba quais são os mais indicados para o atual mercado]

Dentro deste novo modelo, a especialização e a produtividade são a chave do negócio, favorecendo o trabalho em equipe e a colaboração em todas as atividades da banca.

Nesse sistema, um software jurídico é a principal ferramenta de integração, já que possibilita que diferentes profissionais atuem de forma segmentada, sem que isso signifique a falta de comunicação e integração. Softwares mais modernos contam com recursos semelhantes aos das redes sociais, permitindo que diferentes colaboradores opinem e atuem em diferentes casos de forma totalmente engajada.

Advocacia 3.0: mais valorização e produtividade

Outra vantagem desse sistema é a valorização do colaborador. Existem muitas características comuns aos advogados, é verdade. Porém, nem todos possuem os mesmos talentos e habilidades. Existem profissionais que possuem um perfil mais técnico, mas não contam com o mesmo talento para o atendimento. Outros contam com as características mais de gestor, unindo mais habilidades no contato com o cliente no que a construção de teses, por exemplo.

Em um sistema menos centralizado, onde cada um atua dentro da sua especialidade visando mais produtividade, existe o espaço para que cada profissional se destaque naquilo que é melhor. É como em um time, onde cada um possui uma função, mas todos atuam por um objetivo comum.

[Quer saber mais sobre o que é  a inovação na advocacia? Não deixe de conferir!]

Com a velocidade do mercado atual, todas as empresas se vêm desafiadas a inovar, gerando mais agilidade, soluções, transparência e produtividade. Com a advocacia esse movimento não vem sendo diferente. A advocacia 3.0 chegou para ficar e quem quiser ter mais resultados deve abraçar seus princípios.

Quer ficar por dentro das novidades sobre gestão de escritório de advocacia? Faça seu cadastro e receba os materiais exclusivos do SAJ ADV diretamente em seu e-mail.

>

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *