Advocacia empresarial: seu escritório dispersa ou retém talentos?

Tempo de leitura: 6 minutos

Reter taletos é fundamental para escritórios que querem se desenvolver e ter sucesso. Saiba o que fazer para manter seu time na advocacia empresarial!

Uma alta taxa de rotatividade é prejudicial para qualquer empresa. O turnover, como é chamado esse fenômeno, faz com que estratégias de médio e longo prazo sejam negativamente impactadas. Na advocacia empresarial, no entanto, ela pode ser ainda mais nociva. Isso porque, ao contrario de outros negócios que contam com ativos variados, em um escritório, os advogados são os únicos ativos.

Tanto os advogados quanto os gestores já sabem que a credibilidade e a pessoalidade são fatores determinantes para a contratação dos serviços jurídicos. Logo, quando um escritório perde um talento, é comum que uma parte de sua cartela de clientes também acabe diminuindo.

Atualmente a advocacia empresarial está focada em políticas internas totalmente voltadas para o cliente. No entanto, esse é um grande erro de gestão que pode implicar a longo prazo até no fechamento da banca.

Saber como selecionar e reter talentos é fundamental para um escritório de advocacia que visa o sucesso a longo prazo. Para saber quais são as condutas que acabam dispensando ou acabam retendo talentos dentro da advocacia empresarial, vale a pena conferir!

advocacia empresarial



Processo seletivo

Ao contrário do que muitos profissionais pensam, ter uma estratégia de retenção de talentos não se resume a criar um plano de carreira e instituir benefícios. É necessário que desde a contratação o escritório se preocupe em ficar com bons profissionais.

Hoje, muitos profissionais possuem projetos para o desenvolvimento e a efetivação de estagiários. Esta é uma excelente alternativa, já que com projetos dessa natureza é possível capacitar e desenvolver o profissional desde cedo.

Para a contratação de profissionais seniores na advocacia empresarial, contar com o auxílio de uma empresa de recrutamento especializada também pode ser uma ótima solução.

É importante que o escritório conte com uma metodologia para selecionar seus profissionais e tenha clareza acerca do perfil ideal para a vaga. Lembre-se dos conceitos emprestados da administração, dentre eles o CHA: conhecimento, habilidades e atitudes. Tenha em mente também da cultura empresarial e se o “CHA” de seu candidato vai ao encontro do que você imagina de cultural ideal para seu escritório de advocacia. Isso ajuda muito a encontrar o que chamamos de candidato ideal.

Plano de carreira

Sim, como já mencionamos acima, um plano de carreira costuma ser a peça chave na retenção de talentos. Infelizmente, muitos escritórios ainda não atentaram para isso e acabam perdendo excelentes profissionais e bons clientes.

Uma grande parcela dos profissionais que atua em escritórios sem planos de carreira se sente estagnado e desmotivado depois de um tempo. Por isso, essa ferramenta se faz tão necessária no ambiente dos escritórios.

[A tecnologia pode ajudar você a melhorar a gestão de pessoas no seu escritório. Saiba como!]

Para quem pretende instituir um plano de carreira em seu escritório, a dica é trabalhar com transparência, criando quesitos claros que indicam a evolução do advogado. Além do aumento de salários, um plano de carreira também pode contemplar a concessão de benefícios que sejam interessantes para o advogado.

É importante que o advogado saiba como ele pode progredir internamente e quais são os recursos que pode obter através do seu desenvolvimento.



Capacitação e treinamentos

Muitos escritórios têm receio de investir em seus profissionais com medo de que eles deixem a empresa no futuro. Porém, é justamente porque não há investimento que muitos profissionais acabam mudando de escritório.

Apostar em capacitação, treinamentos e até práticas motivacionais é uma excelente forma de reter talentos. Mesmo que o escritório não tenha recursos para investir em profissionais externos e especializados, é possível organizar reuniões e seminários internos, utilizando os próprios profissionais que trabalham na banca como recurso.

[Saiba como a criatividade pode ajudar você a aprimorar a gestão do seu escritório]

Quando um profissional é convidado pelo próprio escritório para expor um conhecimento ele se sente valorizado e prestigiado. Da mesma forma, os demais colaboradores também ganham com o aprendizado. Por isso, mesmo que o escritório não tenha recursos, nada impede que o investimento em treinamentos e capacitação seja uma prioridade.

Ambiente interno

Escritórios que promovem um ambiente competitivo, não valorizam a integração e o engajamento entre os advogados possuem uma taxa maior de rotatividade. Muito do que faz um advogado ficar é o ambiente que ele encontra dentro do escritório.

Assim, celebrar vitórias e conquistas coletivamente, incentivar os happy hours e promover a integração é uma excelente forma de manter bons profissionais na sua equipe.

Ouvir o que os advogados gostariam de ter como benefícios para melhorar o ambiente também é uma forma de ajustá-lo para melhor. Nem sempre o que os colaboradores querem é óbvio. Por isso sistematizar esse feedback é tão importante. Organize avaliações de desempenho, individuais e coletivas, para que possíveis reclamações cheguem antes da mesa de demissão .

Adote modelos novos de gestão

Embora a advocacia seja uma das profissões mais tradicionais do mercado, a maioria dos escritórios vem aceitando bem novos modelos de gestão, muitos baseados no sucesso que obtiveram em outros nichos de mercado.

Modelos baseados em uma gestão horizontal e mais participativa vem gerando bons resultados dentro dos escritórios de advocacia. Incentivar a uma comunicação interna mais espontânea e informal dentro deste modelo também vem promovendo o desenvolvimento de profissionais e dos escritórios simultaneamente.

[Conheça quais são os modelos de gestão que são mais recomendados para os escritórios de advocacia]

Uma gestão horizontal e participativa facilita o engajamento e a apropriação de responsabilidades dentro da empresa. Não por outro motivo, ela também é uma estratégia para fazer com que seus advogados fiquem por muito mais tempo.

Criar políticas e uma cultura que priorize o advogado sem dúvida é um desafio. Porém, com um pouco de criatividade, escuta e iniciativa, nada disso é impossível. E os resultados para o escritório, sem dúvida, se refletem em crescimento, desenvolvimento e melhoria da qualidade como um todo.

Quer ficar por dentro das novidades sobre gestão de escritório de advocacia? Faça seu cadastro e receba os materiais exclusivos do SAJ ADV diretamente em seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *