5 dicas para se tornar um advogado empreendedor

Saiba como você pode se tornar um verdadeiro advogado empreendedor em 5 dicas exclusivas

Seja uma pessoa visionária. Ou seja, aquela pessoa que identifica os problemas do seu setor e desenvolve soluções. Dessa maneira, já pensou em ser um advogado empreendedor? Caso sim, podemos te ajudar com este artigo. Confira o post então!

O empreendedorismo está em alta no Brasil. Contudo, boa parte das pessoas acaba abrindo empresa por necessidade e não por identificarem uma oportunidade no mercado. E isto é ainda mais comum na advocacia. O advogado ou advogada deseja iniciar sua carreira, abre um escritório de advocacia em conformidade às regras empresariais, cria a sociedade de advogados ou individual, mas não enxergam o negócio como uma oportunidade – ou empreendimento. Sendo assim, é importante destacar que ser empreendedor é diferente de ser empresário.

Empreendedor é aquele que identifica um problema, no setor no qual atua, e cria uma solução por meio de produtos ou serviços. Diante disso, quando falamos de advogado empreendedor, estamos falando de alguém visionário e que tem o objetivo de criar algo único para a sociedade.

Se você realmente tem interesse em se tornar um, saiba que está no lugar certo. Neste artigo, vamos explicar porque você deveria investir no empreendedorismo jurídico e como se tornar um advogado empreendedor. Ficou interessado no assunto? Continue lendo as próximas linhas.

1. Por que investir no empreendedorismo jurídico?

O Brasil tem um alto potencial empreendedor, e isto pode ser comprovado pelos dados. Um estudo realizado pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM) apontou que o país tem uma Taxa de Empreendedorismo Total (TTE) de 38%. O número indica, portanto, que cerca de 52 milhões de brasileiros têm um negócio próprio.

Além do terreno fértil para empreender, outro dado indica que os advogados podem conquistar bons resultados nesta onda. Segundo dados da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), divulgados ao jornal Nexo, o Brasil conta com uma alta densidade de advogados por habitantes. Afinal, são mais de 1.200.000 advogados no país.



Há, portanto, um profissional para cada 209 pessoas. Isto significa que o número de advogados supera a demanda. Neste sentido, é interessante que os profissionais consigam se reinventar e inovar para conseguir aumentar a cartela de clientes e prosperar profissionalmente. Diante do cenário, tornar-se um advogado empreendedor pode ser o caminho mais adequado para isso.  

2. Afinal, o que é um advogado empreendedor

“O empreendedor é alguém que sonha e busca transformar seu sonho em realidade”. (Fernando Dolabela, em O Segredo de Luísa)

Há ainda no imaginário social que quem empreende com sucesso já nasceu com um “dom”. Só que se trata de uma ideia errônea, pois ser empreendedor não é algo que se nasce, mas sim que pode ser desenvolvido por qualquer um que tiver um bom direcionamento. Portanto, qualquer pessoas pode ser empreendedora, mesmo que não tenha nascido com esse tino ou não tenha estudo aprofundadamente na faculdade, como acontece no Direito.

Dito isso, caso você, advogado, sinta que não nasceu com o famoso “dom”, temos uma boa notícia. Nós, do Abertura Simples, selecionamos algumas dicas essenciais para quem quer se tornar um advogado empreendedor e criar um bom negócio. Vamos lá?

3. Estude o mercado jurídico

O primeiro passo para se tornar um empreendedor é entender que será necessário pesquisar e estudar. E não apenas sobre a matéria de empreendedorismo ou sobre a matéria de Direito, mas sobre o próprio mercado jurídico. O profissional que deseja se tornar um advogado empreendedor deverá se dedicar a isso, então, para conseguir compreender o mercado no qual está inserido.

Nunca aprendeu empreendedorismo jurídico? Não tem problema. Leia jornais do setor e pesquisas, converse com os profissionais da área, converse com os clientes e assim por diante.  É aprendendo com livros, informações e pessoas, que você terá uma base sobre como está o mercado, quais escritórios estão em alta, quais são os diferenciais deles, o que os clientes precisam etc. 

4. Identifique os problemas

Após uma ampla pesquisa de mercado, é interessante que você consiga identificar se existem problemas recorrentes no setor que ainda precisam de soluções. Por exemplo: há pouca busca, mas grandes clientes? Como lidar com essa característica de mercado?

Isto é, dessa forma, essencial para qualquer estratégia de negócio. E um advogado empreendedor estará ciente do cenário em que se encontra inserido, do que virá pela frente e de como contornar eventuais problemas. Faça, assim, uma lista dos problemas e tente desenvolver soluções para alguns. Com isso, você conseguirá, por exemplo, definir qual será sua ideia de negócio.

5. Valide sua ideia no mercado

Supondo que você tenha encontrado um problema no setor e tenha criado uma solução incrível, ok? Você, como advogado empreendedor, se arriscaria imediatamente? Talvez um teste prévio fosse uma saída mais assertiva.

Portanto, imaginada a solução, é hora de validá-la no mercado. Ou seja, verificar se ela terá uma boa aceitação com o público. Para isso, então, você pode apostar em testes e pesquisa de opinião para verificar se realmente a ideia é interessante e pode obter sucesso.

6. Desenvolva um plano de negócio

Sua ideia foi validada e você descobriu que ela realmente pode mudar a vida das pessoas e ainda gerar lucro? Descobriu que a sua forma de advogar é diferente, mas será bem recebida? Ótimo. Contudo, não termina por aí. Uma vez validada a hipótese, é o momento, então, de planejar. Antes mesmo de abrir sua empresa ou escritório de advocacia, é essencial desenvolver um plano de negócio.

O documento deverá conter todas as informações sobre o seu negócio, nome, visão, missão, valores, quanto será necessário investir, quem serão seus fornecedores (caso seja necessário), quem serão os sócios, quem será o público-alvo, objetivos, metas etc.

Reunindo todas as informações, enfim, o plano permitirá que você consiga empreender tendo uma base mais realista sobre o seu negócio. Assim, você, advogado empreendedor, poderá tomar decisões estratégicas com mais segurança.

7. Abra seu escritório de advocacia e inicie sua carreira como advogado empreendedor

Definido o plano de negócio, é hora de abrir seu escritório. Veja os requisitos necessários para abrir um escritório de advocacia, pois existem particularidades no meio jurídico. E para isso, a recomendação é contar com a ajuda de contador especializado em atender advogados. Afinal, além da abertura, ele poderá ser um aliado para ajudar com a vida financeira e tributária do seu negócio. E enquanto isso, você poderá se dedicar às demais atividade jurídicas, como a produção de peças processuais ou gestão de escritório de advocacia.

Chegou até aqui e curtiu as dicas sobre como ser um advogado empreendedor? Compartilhe este artigo em suas redes sociais e ajuda seus colegas de profissão!

Quer ficar por dentro de tudo sobre empreendedorismo jurídico? Faça abaixo seu cadastro e receba os materiais do SAJ ADV em seu email.

2 Comentários

  1. Avatar

    Gostaria de receber informações sobre empreendedorismo jurídico.

    Responder
    1. Avatar

      Olá, Marcos, tudo bem?

      Legal! Para começar, vou deixar alguns artigos do blog aqui embaixo sobre empreendedorismo para você continuar a estudar.

      Este aqui é bem focado em atuação autônoma na advocacia:
      https://blog.sajadv.com.br/advogado-autonomo-empreendedor/

      Este é sobre os desafios de quem empreende na advocacia:
      https://blog.sajadv.com.br/empreendedorismo-na-advocacia/

      Também vou deixar o link para nossos materiais gratuitos, onde você vai encontrar e-books, webnars e kits sobre o tema e assuntos relacionados:
      https://www.sajadv.com.br/conteudos-gratuitos/

      Para terminar: a partir de agora, você também vai receber nossas atualizações por e-mail também!

      Espero que goste dos materiais!

      Abraço!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *