Análise SWOT para escritórios de advocacia: por que você precisa fazer?

análise SWOT é uma ferramenta que serve para fazer o planejamento estratégico de empresas e novos projetos. Consiste, basicamente, na realização de um diagnóstico completo sobre o negócio e o ambiente que o cerca. Então, antes de executar qualquer nova estratégia no escritório, experimente aplicar a análise SWOT em seu escritório para aumentar as chances de sucesso.  

É sobre isso que esse post vai tratar.  

A importância do planejamento

Saber como captar clientes na advocacia é um dos maiores desafios dos advogados. Aliás, esse é um dos maiores desafios de qualquer negócio. Afinal, o cliente é a razão de ser e a mola propulsora do desenvolvimento de qualquer empresa. Todos os advogados reconhecem a necessidade essa necessidade, até como forma de diversificar as contas. No entanto, nem todos realmente implementam esforços nesse sentido.  

Mas se esse não for o seu caso e você decidir por investir em uma estratégia de marketing jurídico, é importante ir com calma. Antes de partir para a execução, por exemplo, é preciso dedicar um tempo para planejar. O planejamento é parte fundamental na execução de qualquer estratégia. Isso porque é nesse momento que você identificará quais são os melhores caminhos a seguir.  

Imagine, por exemplo, que você esteja precisando ir de carro de Belo Horizonte a São Paulo sem GPS ou mapa. Você até poderia conseguir alcançar seu objetivo olhando as placas pelo caminho ou fazendo perguntas aos pedestres. No entanto, certamente economizaria tempo e dinheiro se tivesse escolhido previamente a melhor rota que levaria ao destino.  

Assim, a mesma ideia é aplicada aqui. Você até pode partir para a ação imediatamente, mas sem um planejamento prévio pode acabar investindo esforços em uma área que está com os dias contados. Ou, então, optar por canais de comunicação pouco efetivos para o seu público-alvo não está, por exemplo.  



Então, para evitar desperdício de tempo, dinheiro e energia é melhor planejar.  

Análise SWOT: fazendo o diagnóstico do escritório

Análise SWOT provém de uma sigla em inglês para forças (strengths), fraquezas (weakness), oportunidades (opportunities) e ameaças (treats). No Brasil, você pode ouvir algumas pessoas chamando essa análise de FOFA, no sentido aportuguesado, por exemplo.

A função dessa ferramenta, portanto, é avaliar os ambientes interno e externo de um negócio, formulando táticas para otimizar o desempenho no mercado. Por outro lado, a análise SWOT é estruturada em formato de matriz para facilitar sua elaboração e análise. Veja:

análise SWOT

Ambiente interno

Em relação ao ambiente interno, a análise SWOT engloba as atividades dentro do própria organização e considera todos os processos a ela relacionados. Portanto, ao olhar para as forças e fraquezas do seu negócio, você o fará olhando para “dentro de casa”. Assim, todos os fatores sobre os quais é possível intervir são parte do ambiente interno.

É o caso, por exemplo:  

1. Forças

As forças abordadas pela análise SWOT representam a vantagem competitiva do negócio. Imagine, por exemplo, que o seu escritório possui um relacionamento exemplar com o cliente, mantendo uma relação de parceria que agrega valor ao negócio dele. Esse seria um exemplo de força. 

Por outro lado, preservar uma comunicação ágil, entender bem o negócio do cliente, ou, ainda, possuir um quadro de advogados muito reconhecidos em suas áreas de atuação também são exemplos de força.

Nesse sentido, olhe para dentro do seu escritório e procure entender quais fatores representam força para a sua realidade. Tente, por exemplo, responder a perguntas como:  

  • O que seu escritório faz bem?  
  • O que os outros enxergam como um ponto forte do seu escritório? 
  • Quais habilidades você possui que o coloca em uma posição de vantagem perante a concorrência? 

As respostas a essas perguntas devem sempre levar em conta a vantagem que o escritório possui em relação à concorrência. Quanto mais seu escritório se diferenciar ou se destacar, mais importante essa característica se torna. 

2. Fraquezas

As fraquezas da análise SWOT são as características e elementos que desfavorecem seu escritório em relação à concorrência. Portanto, para conseguir enumerá-los, é preciso reconhecer os próprios erros. Se o escritório nem sempre consegue estar disponível para o cliente quando ele precisa, ou, então, não tem o costume de retornar seus questionamentos com brevidade, fique atento: esses são fatores que posicionam o escritório em uma relação de desvantagem competitiva.

Da mesma forma, se o negócio não possui nenhuma estratégia de marketing que seja capaz de investir no relacionamento com o cliente, as fraquezas também ficam em alta. Então, faça uma análise interna e tente entender quais fatores representam fraqueza para a sua realidade. Neste caso, tente responder a perguntas como:  

  • Temos bons advogados na banca? 
  • Existem lacunas de treinamento? 
  • Por que a concorrência é escolhida? 
  • Os advogados da banca geram novos e bons negócios para o escritório? 

 Responder a essas perguntas com sinceridade é algo fundamental. Afinal, assumir as falhas é o primeiro passo para corrigi-las. 

análise SWOT

Ambiente externo

O ambiente externo da análise SWOT diz respeito às questões de fora do escritório, mas que interferem no negócio. Em geral, esse tipo de situação é aquele que foge do controle da empresa. É o caso do clima, da taxa de juros, das mudanças legislativas, das crises econômicas e do advento de novas tecnologias, por exemplo.

No entanto, a esses espaços estão ligadas oportunidades e ameaças futuras. 

1. Oportunidades

As oportunidades ocorrem sempre que um fator externo cria um cenário favorável para o negócio. É o caso, por exemplo, da privatização de uma empresa que tenha como objetivo terceirizar o jurídico interno ou, então, do surgimento de tecnologias que criem novos negócios com poucos advogados especialistas na área. 

2. Ameaças 

As ameaças, por outro lado, são situações ou elementos que criam um ambiente desfavorável para a empresa. Tratam-se, portanto, de eventuais riscos ao negócio. É o caso, por exemplo, do surgimento do AirBnb, que representou uma ameaça ao setor hoteleiro. Ou, então, dos carros autônomos, que representam uma ameaça aos motoristas profissionais. 

Então, seguindo as etapas que mencionamos até aqui, você será capaz de fazer uma boa análise SWOT que seja capaz de oferecer um diagnóstico confiável pautado nas estratégias. E isso tudo de modo seguro a médio e longo prazo.  

A análise SWOT na prática

Para fazer a sua matriz SWOT, siga os passos a seguir: 

  • Analise as áreas específicas em que você atua.
  • Observe como a concorrência se comporta.
  • Elabore um documento curto e simples para a análise. 

1. Estabeleça as vantagens e desvantagens diante da concorrência

Primeiro, identifique os pontos fortes e fracos do seu negócio em relação aos concorrentes. A análise SWOT prevê exatamente isso. Se ele costuma realizar ações de marketing por meio da promoção e participação em eventos, por exemplo, ou faz publicações focadas no esclarecimento de dúvidas do público alvo ou, ainda, realiza palestras in company para potenciais clientes, ele tem um ponto fraco em relação a você. Especialmente se você não faz os mesmos investimentos.

Mas digamos, por exemplo, que o seu concorrente possui um site responsivo, com um design bonito e com uma área de publicações que gere visitas ao site, fortalecendo a marca e a captação de clientes, trata-se também de um ponto fraco seu em relação à concorrência. Lembre-se que existem mais de 4 bilhões de pessoas com acesso à internet no mundo hoje. Portanto, desprezar esse ambiente como um meio de geração de novos negócios é abrir mão de uma grande oportunidade. 

2. Identifique oportunidades e ameaças no mercado

Nesta etapa é bom que você olhe para fora do seu negócio e observe o mercado. Avalie, então, quais são as oportunidades e as ameaças que ele oferece para seu escritório. Este momento está relacionado ao futuro do seu empreendimento. Trata-se de um exercício de análise de tendência e antecipação de mudanças que devem ser consideradas na hora de elaborar o planejamento estratégico. 

Isso pode ser feito por meio dos sites de empresas de consultoria e auditoria, por exemplo, que frequentemente lançam previsões sobre os mais diversos setores. Tratam-se de ótimos espaços para conhecer tendências dos mais variados segmentos de mercado. Anote essas opções: Ersnt and YoungKPMGDeloitte e PricewaterhouseCoopers. 

3. Análise final

Depois de toda essa pesquisa, você já consegue selecionar os caminhos mais adequados para o atingimento dos objetivos do escritório.

Veja o exemplo de um caso real para entender a estrutura. Vamos fazer a análise SWOT do Mc Donald’s:

análise SWOT

Ao ler a matriz acima, você consegue perceber como os campos de forças e fraquezas foram elaborados com o olhar para dentro da organização? Exatamente como vimos nos itens mencionados anteriormente pelo post? Por outro lado, você percebeu que as ameaças e oportunidades foram elaboradas olhando para fora, para as tendências de mercado? É o mesmo raciocínio que você deve aplicar ao realizar a sua matriz SWOT.

Então, agora que você entendeu como funciona a análise SWOT, que tal praticar?  

Então, faça suas pesquisas, reúna sua equipe e pegue post its e canetas. Deixe que todos opinem acerca das forças, fraquezas, oportunidades e ameaças que vislumbram para o negócio. Fazer isso em conjunto é sempre muito mais produtivo!

Quer ficar por dentro das novidades sobre gestão de escritórios de advocacia e análise SWOT? Faça abaixo seu cadastro e receba materiais do SAJ ADV em seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *