Cadastro Nacional de Advogados como forma de prospecção de clientes

O Cadastro Nacional de Advogados (CNA) é uma plataforma mantida pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e foi desenvolvido com base no Provimento nº 95/2000 e no Provimento nº 103/2004.

Prospectar clientes na advocacia nem sempre é uma tarefa fácil. Afinal, muitas são as condutas vedadas pelo Código de Ética da OAB no tocante ao marketing jurídico. Assim, vedadas algumas possibilidades do marketing típico, a advocacia se torna uma atividade em que a conquista de clientes dá-se, sobretudo, pela recomendação. Ou seja, principalmente pela criação de uma boa relação com os clientes já existentes e de uma rede de networking efetiva. Contudo, para quem é iniciante, isto pode ser ainda mais complicado. Por essa razão, o Cadastro Nacional de Advogados pode ser uma saída interessante.

Elaborado como uma fonte de contatos de advogados em diversas áreas do país, o Cadastro Nacional de Advogados ou CNA pode funcionar como fonte de pesquisa de profissionais. Utilizá-lo, portanto, não é apenas um meio de conseguir o contato de outros profissionais. Também é um modo de disponibilizar seu contato a todos aqueles que desejarem contacta-lo.

Esse post, então, busca mostrar como o CNA pode ser utilizado na captação de clientes.

1. Prospecção de clientes e CNA

Prospectar clientes, como já mencionado, pode ser uma das principais dificuldades dos advogados. Existem técnicas de marketing jurídico que podem ser implementadas. É o caso, por exemplo, do inbound marketing para advogados. Desse modo, aplicam-se técnicas menos invasivas, levando o próprio o cliente à descoberta do seu problema e da necessidade de contratação do serviço, sem ferir, contudo o Código de Ética da OAB.

Manter uma boa rede de networking também é algo imprescindível. Afinal, contatos podem recomendar contatos. Dessa forma, conhecer outros profissionais pode ser um pontapé para a conquista de novos clientes. E isto pode se dar de diversas formas de interação: eventos, cursos, redes sociais, etc. Apesar das vedações da OAB, portanto, existem meios de oferecer os serviços sem incorrer em técnicas mercantilistas típicas.

Quando se é um advogado empreendedor, pensar em questões como essas é um passo fundamental na consolidação e no crescimento do negócio. Nesse sentido, também é importante manter o cadastro na OAB atualizado e constar na rede do Cadastro de Nacional de Advogados, pois esta pode ser a forma de outras pessoas acessarem o profissional.



Cadastro Nacional de Advogados

Vedações do Código de Ética da OAB

Como o art. 39 do Código de Ética da OAB preceitua “a publicidade profissional do advogado tem caráter meramente informativo e deve primar pela discrição e sobriedade, não podendo configurar captação de clientela ou mercantilização da profissão”. E expressões como captar clientes na advocacia, dessa maneira, não são bem vistas. Resta, portanto, a pergunta: como conquistar clientes de outras formas?

A menção ao caráter informativo é uma das chaves. Compartilhar conhecimento é uma das principais formas. Além de chamar a atenção para o conteúdo com o qual se trabalha, é possível fortalecer o nome no mercado dessa forma, principalmente em se tratando de profissionais inexperientes. Não obstante seja possível atrair clientes dessa maneira, pode-se, por exemplo, conhecer novos profissionais através desses meios.

Contudo, é preciso ressaltar as proibições do art. 40 do Código de Ética. Assim, por exemplo, é vedada a veiculação de publicidade em rádio, cinema e televisão. Ou, por exemplo, em outdoors e espaços públicos, bem como o fornecimento de dados de contato, como endereço e telefone, em colunas ou artigos.

Agora imagine a situação: uma advogada A da cidade X acompanha as publicações em um blog jurídico de um advogado B da cidade Y. Contudo, eles não mantêm contato entre si, de modo que ainda não integram a rede de networking do outro. Ocorre que a advogada A possui um caso na cidade Y e necessita de um advogado correspondente naquela região. E sabe que o advogado B trabalha com aquele tema e pode realizar uma sustentação oral, por exemplo. Como ela poderia obter o contato de B, senão pelas redes sociais?

O Cadastro Nacional de Advogados, então, pode ser uma solução, como se verá.

2. O que é o Cadastro Nacional de Advogados?

O Cadastro Nacional de Advogados (CNA) é uma plataforma mantida pelo Conselho Federal da OAB. Foi desenvolvido, então, com base no Provimento nº 95/2000 e no Provimento nº 103/2004.

Desse modo, dispõe o art. 1º do Provimento nº 95/200, com redação dada pelo Provimento nº 103/2004:

Art. 1º O Cadastro Nacional dos Advogados será mantido pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil e administrado pelo Secretário-Geral Adjunto, nos termos do art. 103, II, do Regulamento Geral do EAOAB. 

Funciona, portanto, como um repositório de cadastro para advogados de todo o Brasil. E será alimentado, dessa maneira, automaticamente, por via eletrônica, pelos Conselhos Seccionais e pelo Conselho Federal.

Assim, é possível, através do CNA, consultar advogados, suplementares e estagiários inscritos no quadro da OAB. E a busca, por fim, pode ser realizada tanto pelo site do CNA quanto por aplicativos para smartphones, em sistema Android ou IOS.

3. Como pesquisar no CNA?

O Cadastro Nacional de Advogados permite que o usuário selecione a área de atuação do profissional. Ou seja, que busque advogados por todo o país ou pelos estados. Contudo, para que se conclua a busca, é necessário inserir:

  1. nome do advogado; e/ou
  2. número de inscrição nos quadros da OAB.

Como resultado, os usuários encontrarão ose seguintes dados disponíveis:

  1. nome completo e nome profissional;
  2. número da inscrição na OAB;
  3. Conselho seccional e Subseção;
  4. filiação;
  5. sexo;
  6. data de inscrição na OAB;
  7. fotografia;
  8. endereço e telefone profissionais;
  9. e-mail;
  10. informação de regularidade;
  11. modalidade da inscrição dos advogados e da sociedade de advogados da qual participa o inscrito.

4. Como utilizar o Cadastro Nacional de Advogados para prospecção de clientes na advocacia?

Já se abordou aqui como utilizar o Cadastro Nacional de Advogados para entrar em contato com outros profissionais. No entanto, é possível utilizá-lo para captar clientes na advocacia de forma ética?

Em primeiro lugar, é preciso considerar que a trocar de contatos entre profissionais pode ser bastante positiva para a conquista de novos clientes. Contudo, o CNA também possibilita o contato direto entre advogado e cliente. Afinal, para utilizá-lo em uma busca não é necessário cadastro algum, seja na OAB ou no aplicativo. Tal qual explicado, basta digitar o nome do profissional ou seu número de inscrição. Isto, então, leva a outro ponto: é preciso que o possível cliente saiba quem está procurando.

Novamente, retoma-se a necessidade de investir em técnicas de marketing jurídico não invasivo e que estejam em consonância com a OAB. Se o profissional atua na área trabalhista, por exemplo, pode manter um blog jurídico com conteúdos da área.

Ao escrever sobre a área do Direito em que atua, não apenas se faz visível para um eventual cliente que procure informações sobre o problema naquela área, como também se faz referência no assunto. Desse modo, poderá ter seu nome encontrado mais facilmente. E quando esse eventual cliente puder, de fato, se tornar um cliente, poderá acessar, por exemplo, o Cadastro Nacional de Advogados para obter os contatos profissionais e outras informações relevantes daquele profissional que ele pensa em contratar.

Um exemplo:

Empresa A deseja um advogado consultivo para um caso X. Em busca no Google, descobre que a advogada B trabalha com essa temática e poderia auxiliá-la na questão. No entanto, não possui o contato profissional da advogada B. Pode, então, buscar pelo nome da advogada B no CNA.

5. CNA como meio de contato seguro para advogados

Na verdade, os exemplos de possibilidade são diversos. Pense-se, por exemplo, que um nome sempre é referenciado em uma temática. Ou mesmo, imagine-se que um conhecido mencionou o nome de um profissional bastante reconhecido em uma área, mas não possui seu contato.

O Cadastro Nacional de Advogados visa, justamente, facilitar esse intermédio, disponibilizando informações profissionais importantes. Além disso, é um meio de segurança em relação aos profissionais. Afinal, o CNA revela a situação do cadastro na OAB. Ou seja, é uma forma de que o cliente tenha segurança quanto ao profissional cujos serviços está contratando.

Quer ficar por dentro das novidades sobre mercado jurídico? Faça abaixo seu cadastro e receba materiais do SAJ ADV em seu e-mail.

4 Comentários

  1. Avatar

    Olá boa noite, passei em 14 lugar pra assistente social nem o primeiro colocado foi convocado (vence agora em 23/12/19) possibilidade de renovação deste período existe, e em outro em 10 lugar pra nutricionista (com uma vaga imediata e cadastro reserva) houve nomeação da primeira colocada, gostaria de saber se existe possibilidade de entrar com mandato de segurança e como proceder, o ultimo fiz esse ano e demora pra vencer!!! Abraços
    Taciana

    Responder
    1. Avatar

      Oi, Taciana, tudo bem?

      Neste artigo, você pode ver como encontrar um advogado militante para prestar consultoria em sua questão. Sugiro apenas que você releia o edital do concurso que prestou, para verificar, antes de mais nada, se a conduta em caso tal como o que você narra já não está prevista.

      Como respondi para você na outra publicação, não podemos, por meio deste canal, prestar consultoria jurídica. São normas da OAB e, se desrespeitadas, podem trazer prejuízo ao nosso trabalho.

      Agradeço imensamente o seu comentário!

      Abraço!

      Responder
  2. Avatar

    Olá! Boa noite. Fiz um concurso para o Município do Rio de Janeiro e saiu munha convocação em 2014. Eu não recebi comunicado por email e nem por telegrama. Infelizmente não tive acesso ao diário oficial, me encontrava em uma fase difícil da minha vida, em situação de divórcio e estava muito abalada. Por gentileza quero saber se tem como recorrer a essa vaga?
    Meu nome é Maria de Lourdes Magalhães Thomaz.

    Responder
    1. Avatar

      Oi, Maria, tudo bem?

      É bem comum essa situação mesmo. Mas, em virtude de normas da OAB, nós não podemos prestar consultoria jurídica por este canal.

      Então, sugiro que você veja neste post mesmo a seção “como pesquisar no CNA”, para achar um profissional que possa dar o encaminhamento mais adequado para o seu caso.

      Abraço!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *