Cadastro Nacional de Advogados como forma de prospecção de clientes

O Cadastro Nacional de Advogados (CNA) é uma plataforma mantida pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e foi desenvolvido com base no Provimento nº 95/2000 e no Provimento nº 103/2004.

Prospectar clientes na advocacia nem sempre é uma tarefa fácil. Afinal, muitas são as condutas vedadas pelo Código de Ética da OAB no tocante ao marketing jurídico. Assim, vedadas algumas possibilidades do marketing típico, a advocacia se torna uma atividade em que a conquista de clientes dá-se, sobretudo, pela recomendação. Ou seja, principalmente pela criação de uma boa relação com os clientes já existentes e de uma rede de networking efetiva. Contudo, para quem é iniciante, isto pode ser ainda mais complicado. Por essa razão, o Cadastro Nacional de Advogados pode ser uma saída interessante.

Elaborado como uma fonte de contatos de advogados em diversas áreas do país, o Cadastro Nacional de Advogados ou CNA pode funcionar como fonte de pesquisa de profissionais. Utilizá-lo, portanto, não é apenas um meio de conseguir o contato de outros profissionais. Também é um modo de disponibilizar seu contato a todos aqueles que desejarem contacta-lo.

Esse post, então, busca mostrar como o CNA pode ser utilizado na captação de clientes.

1. Prospecção de clientes e CNA

Prospectar clientes, como já mencionado, pode ser uma das principais dificuldades dos advogados. Existem técnicas de marketing jurídico que podem ser implementadas. É o caso, por exemplo, do inbound marketing para advogados. Desse modo, aplicam-se técnicas menos invasivas, levando o próprio o cliente à descoberta do seu problema e da necessidade de contratação do serviço, sem ferir, contudo o Código de Ética da OAB.

Manter uma boa rede de networking também é algo imprescindível. Afinal, contatos podem recomendar contatos. Dessa forma, conhecer outros profissionais pode ser um pontapé para a conquista de novos clientes. E isto pode se dar de diversas formas de interação: eventos, cursos, redes sociais, etc. Apesar das vedações da OAB, portanto, existem meios de oferecer os serviços sem incorrer em técnicas mercantilistas típicas.

Quando se é um advogado empreendedor, pensar em questões como essas é um passo fundamental na consolidação e no crescimento do negócio. Nesse sentido, também é importante manter o cadastro na OAB atualizado e constar na rede do Cadastro de Nacional de Advogados, pois esta pode ser a forma de outras pessoas acessarem o profissional.



Cadastro Nacional de Advogados

Vedações do Código de Ética da OAB

Como o art. 39 do Código de Ética da OAB preceitua “a publicidade profissional do advogado tem caráter meramente informativo e deve primar pela discrição e sobriedade, não podendo configurar captação de clientela ou mercantilização da profissão”. E expressões como captar clientes na advocacia, dessa maneira, não são bem vistas. Resta, portanto, a pergunta: como conquistar clientes de outras formas?

A menção ao caráter informativo é uma das chaves. Compartilhar conhecimento é uma das principais formas. Além de chamar a atenção para o conteúdo com o qual se trabalha, é possível fortalecer o nome no mercado dessa forma, principalmente em se tratando de profissionais inexperientes. Não obstante seja possível atrair clientes dessa maneira, pode-se, por exemplo, conhecer novos profissionais através desses meios.

Contudo, é preciso ressaltar as proibições do art. 40 do Código de Ética. Assim, por exemplo, é vedada a veiculação de publicidade em rádio, cinema e televisão. Ou, por exemplo, em outdoors e espaços públicos, bem como o fornecimento de dados de contato, como endereço e telefone, em colunas ou artigos.

Agora imagine a situação: uma advogada A da cidade X acompanha as publicações em um blog jurídico de um advogado B da cidade Y. Contudo, eles não mantêm contato entre si, de modo que ainda não integram a rede de networking do outro. Ocorre que a advogada A possui um caso na cidade Y e necessita de um advogado correspondente naquela região. E sabe que o advogado B trabalha com aquele tema e pode realizar uma sustentação oral, por exemplo. Como ela poderia obter o contato de B, senão pelas redes sociais?

O Cadastro Nacional de Advogados, então, pode ser uma solução, como se verá.

2. O que é o Cadastro Nacional de Advogados?

O Cadastro Nacional de Advogados (CNA) é uma plataforma mantida pelo Conselho Federal da OAB. Foi desenvolvido, então, com base no Provimento nº 95/2000 e no Provimento nº 103/2004.

Desse modo, dispõe o art. 1º do Provimento nº 95/200, com redação dada pelo Provimento nº 103/2004:

Art. 1º O Cadastro Nacional dos Advogados será mantido pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil e administrado pelo Secretário-Geral Adjunto, nos termos do art. 103, II, do Regulamento Geral do EAOAB. 

Funciona, portanto, como um repositório de cadastro para advogados de todo o Brasil. E será alimentado, dessa maneira, automaticamente, por via eletrônica, pelos Conselhos Seccionais e pelo Conselho Federal.

Assim, é possível, através do CNA, consultar advogados, suplementares e estagiários inscritos no quadro da OAB. E a busca, por fim, pode ser realizada tanto pelo site do CNA quanto por aplicativos para smartphones, em sistema Android ou IOS.

3. Como pesquisar no CNA?

O Cadastro Nacional de Advogados permite que o usuário selecione a área de atuação do profissional. Ou seja, que busque advogados por todo o país ou pelos estados. Contudo, para que se conclua a busca, é necessário inserir:

  1. nome do advogado; e/ou
  2. número de inscrição nos quadros da OAB.

Como resultado, os usuários encontrarão ose seguintes dados disponíveis:

  1. nome completo e nome profissional;
  2. número da inscrição na OAB;
  3. Conselho seccional e Subseção;
  4. filiação;
  5. sexo;
  6. data de inscrição na OAB;
  7. fotografia;
  8. endereço e telefone profissionais;
  9. e-mail;
  10. informação de regularidade;
  11. modalidade da inscrição dos advogados e da sociedade de advogados da qual participa o inscrito.

4. Como utilizar o Cadastro Nacional de Advogados para prospecção de clientes na advocacia?

Já se abordou aqui como utilizar o Cadastro Nacional de Advogados para entrar em contato com outros profissionais. No entanto, é possível utilizá-lo para captar clientes na advocacia de forma ética?

Em primeiro lugar, é preciso considerar que a trocar de contatos entre profissionais pode ser bastante positiva para a conquista de novos clientes. Contudo, o CNA também possibilita o contato direto entre advogado e cliente. Afinal, para utilizá-lo em uma busca não é necessário cadastro algum, seja na OAB ou no aplicativo. Tal qual explicado, basta digitar o nome do profissional ou seu número de inscrição. Isto, então, leva a outro ponto: é preciso que o possível cliente saiba quem está procurando.

Novamente, retoma-se a necessidade de investir em técnicas de marketing jurídico não invasivo e que estejam em consonância com a OAB. Se o profissional atua na área trabalhista, por exemplo, pode manter um blog jurídico com conteúdos da área.

Ao escrever sobre a área do Direito em que atua, não apenas se faz visível para um eventual cliente que procure informações sobre o problema naquela área, como também se faz referência no assunto. Desse modo, poderá ter seu nome encontrado mais facilmente. E quando esse eventual cliente puder, de fato, se tornar um cliente, poderá acessar, por exemplo, o Cadastro Nacional de Advogados para obter os contatos profissionais e outras informações relevantes daquele profissional que ele pensa em contratar.

Um exemplo:

Empresa A deseja um advogado consultivo para um caso X. Em busca no Google, descobre que a advogada B trabalha com essa temática e poderia auxiliá-la na questão. No entanto, não possui o contato profissional da advogada B. Pode, então, buscar pelo nome da advogada B no CNA.

5. CNA como meio de contato seguro para advogados

Na verdade, os exemplos de possibilidade são diversos. Pense-se, por exemplo, que um nome sempre é referenciado em uma temática. Ou mesmo, imagine-se que um conhecido mencionou o nome de um profissional bastante reconhecido em uma área, mas não possui seu contato.

O Cadastro Nacional de Advogados visa, justamente, facilitar esse intermédio, disponibilizando informações profissionais importantes. Além disso, é um meio de segurança em relação aos profissionais. Afinal, o CNA revela a situação do cadastro na OAB. Ou seja, é uma forma de que o cliente tenha segurança quanto ao profissional cujos serviços está contratando.

Quer ficar por dentro das novidades sobre mercado jurídico? Faça abaixo seu cadastro e receba materiais do SAJ ADV em seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *