O checklist definitivo para fazer Marketing Jurídico Digital

Tempo de leitura: 7 minutos

Se você é advogado (ou trabalha em um escritório de advocacia) e está procurando dicas para realizar sua prospecção, trazemos para você o Checklist do Marketing Jurídico.

Quando se fala de marketing para advogados existe muita coisa que deve ser levado em conta, mas a primeira e talvez a principal é o Código de Ética da OAB que determina o que pode ou não ser feito para promover o seu nome como advogado ou empresa.

Na dúvida, muitos profissionais deixam de realizar qualquer tipo de marketing jurídico ou mesmo fazem um que não agrega muito valor para ele do ponto de vista de adquirir novos ou potenciais clientes.

Tendo isso em vista, criamos essa lista que você deve levar em conta antes de fazer qualquer coisa, principalmente no meio digital.

Confira abaixo o que reservamos para você.

1. Fazer atendimento personalizado

Essa é uma habilidade cada vez mais necessária em todos os meios, não apenas no jurídico.



Tratar as pessoas como indivíduos e não como números de um caso é um dos fatores que torna esse atendimento personalizado.

Entre em contato, retorne as ligações entre outras coisas, mostra que você se importa com a pessoa que está por trás daquele caso que você está trabalhando.

Isso faz com que ela se lembre de ti na hora de recomendar para alguém não só pelas suas habilidades profissionais, mas por suas habilidades pessoais.

2. Estar no topo dos mecanismos de busca

Muitas pessoas quando estão passando por alguma dificuldade vão até os mecanismos de buscas, como o Google, para tentar entender o que está acontecendo ou procurar um profissional que explique isso para elas.

Nesse momento é importante que você tenha um conteúdo otimizado nesses mecanismos para que quando essas buscas acontecerem, você seja o primeiro a aparecer na lista.

Faça um conteúdo otimizado, com um bom SEO Jurídico e conteúdo realmente relevante para que o marketing jurídico aconteça.

3. Manter o site otimizado

Esse é outra habilidade importante. Não adianta você ter um bom conteúdo, se seu site jurídico não é atrativo e organizado.

Tenha um site limpo, sem muita poluição visual, um mecanismo de busca que funcione bem, além de ser organizado por categorias e subcategorias facilita para que o seu potencial cliente encontre a informação que deseja com agilidade.

Um site responsivo, que funcione de forma correta em todos os aparelhos, também é um diferencial.

4. Estar presente nas redes sociais

Tenha um perfil profissional nas redes sociais. Por meio desses perfis no Facebook ou Instagram, traga conteúdo relevante para seus clientes e potenciais clientes.

Isso aumenta a sua presença como um todo no mundo virtual, o que facilita também que seu nome ou de seu escritório fique no topo das listas de buscas, e ganhe força no marketing jurídico.

5. Sempre produzir conteúdo

Produza conteúdo relevante para os seus potenciais clientes com foco na sua área de atuação.

As pessoas naturalmente esperam que um advogado ou advogada tenha uma boa oratória e desenvoltura para lidar com o publico.

Faça vídeos mostrando esse seu poder oratória. Além de ensinar e esclarecer dúvidas comuns das pessoas, demonstra a segurança que você tem para lidar com o assunto.

marketing jurídico checklist

6. Fazer parcerias estratégicas

Feche parcerias com outros advogados e escritórios que atuem em áreas diferentes da sua e que sejam conhecidos. Assim eles divulgam os seus conteúdos e sua área de atuação, da mesma forma que você fará com eles.

Dessa maneira sua rede de contatos vai crescendo, já que eles alcançam um publico diferente do seu. Marketing jurídico é uma estratégia completa e complexa!

7. Ser lembrado

Se tornar lembrado não é apenas quando um cliente indica você para outra pessoa, o famoso ‘boca a boca’.

Ser lembrado também significa estar no topo das buscas, se tornar referência na sua área de atuação, não ser lembrado apenas por suas habilidades profissionais, mas também com a forma humana que você tratou o seu cliente.

8. Comporte-se nas redes sociais

O primeiro ponto em que muitos advogados ainda acreditam de maneira errada é que ele como advogado ou mesmo como empresa, não pode estar presente no mundo digital.

Isso é um erro, fazer a sua imagem frente a um publico grande e diferente do publico que você alcançaria de forma física é um diferencial.

Se você pretende entrar nas redes sociais para fazer isso a primeira dica de marketing jurídico, é separar o seu perfil pessoal do profissional, não leve nada de um perfil para outro.

Por exemplo, não compartilhe informações de cunho jurídico em sua rede social pessoal, da mesma forma que não deve compartilhar uma reunião em família ou com amigos no perfil profissional.

De preferência por fazer uma página ou perfil profissional para trabalhar melhor o seu lado profissional.

Pelo código de ética você não pode prestar atendimentos de forma online, como e-mail, respondendo a comentários ou por inbox. Mas não é proibido que você convide a pessoa a ir até a sua empresa física para te consultar.

9. Conheça o seu publico alvo

Após se estabelecer no meio digital, com contas nas redes sociais e um site ou blog, você precisa conhecer o seu publico alvo.

Se você já tem experiência anterior isso se torna mais fácil, entretanto se você está começando na profissão o ideal é fazer uma boa pesquisa antes.

De nada adianta você ser um advogado criminal e publicar em suas redes sociais algo relacionado a direitos trabalhistas, por exemplo.

Da mesma forma você precisa saber a idade do seu publico alvo, seguindo o exemplo anterior, de nada adianta seu publico alvo ser pensionistas e aposentados e você produzir conteúdo sobre direitos trabalhistas também.

10. Só faça propagandas permitidas

Outro erro é acreditar que não se pode fazer propaganda de advogados e/ou suas empresas no Marketing Jurídico.

A propaganda é permitida desde que dentro de revistas e jornais especializados, tanto físicos como online.

O único cuidado é fazer isso de forma discreta, falando do profissional, sua carreira e até mesmo algum prêmio é permitido.

Já se você vai produzir conteúdo relevante para suas redes sociais e blog tenha em mente que esse conteúdo tem que ser informativo, de modo a esclarecer dúvidas do cidadão, não sendo permitido, como já dito, prestar consultas de forma online, ou mesmo gratuitas.

11. Dê retorno aos clientes

Humanizar, não transformando eles em números ou casos é o correto a se fazer, isso tanto no ‘mundo físico’ como no mundo virtual.

Atitudes simples como:

  • Retornar as ligações do cliente;
  • Responder a sua pergunta na rede social, mesmo que você não possa prestar consulta, isso não significa que você deve ignorar a pergunta feita. Direcione o potencial cliente, convide ele a ir a sua empresa para conversarem melhor;
  • De retorno ao cliente após o término de uma ação, não espere o cliente vir até você para dizer que algo deu errado.

12. Considerações finais sobre Marketing Jurídico

O código de ética de fato é um limitante quando o assunto é marketing jurídico, mas ele está lá por vários motivos.

O principal deles é que o marketing jurídico, como acontece em países como os Estados Unidos, torna as grandes empresas de advocacias muito poderosas, minando e tirando clientes de pequenos escritórios, por exemplo.

Mesmo assim, com esse checklist de Marketing Jurídico, você já tem o necessário para começar com o pé direito nessa área. Na dúvida consulte o código de ética da OAB.

Gostou? Não esqueça de compartilhar em suas redes sociais.

Quer ficar por dentro de todas as novidades sobre Marketing Jurídico? Faça seu cadastro e receba os materiais exclusivos do SAJ ADV em seu email.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *