Como ser um bom advogado: 7 características de juristas de sucesso

Tempo de leitura: 9 minutos

Para se tornar advogado, todo mundo sabe: é preciso aprovar no Exame de Ordem. Mas para se transformar em um advogado de sucesso, o caminho é menos técnico e sem fórmula pronta. A preparação para o mercado exige tempo, experiência e, acima de tudo, escolhas corretas e uma boa estratégia ao longo do caminho. Mas, com tudo isso, como ser um bom advogado, afinal?

Em um mercado saturado como o da advocacia, não é fácil se sobressair em meio a tantos profissionais atuando na mesma área. Justamente por isso, é importante que o advogado encontre maneiras de ir além e se diferenciar dos demais e saltar aos olhos do cliente e dos colegas. Mas como fazer isso?

Este post traz 7 dicas que vão guiar você a fazer escolhas corretas na carreira e descobrir como ser um bom advogado.

1. Faça um planejamento para a sua carreira

Tenha um ponto bem importante em mente: o caminho que você irá traçar como profissional não pode se tornar um tanto faz e nem ser fruto do acaso. Não atire para todos os lados, nem escolha o que é mais conveniente em determinado momento. Você só vai conseguir evitar isso fazendo um planejamento da carreira e de onde pretende chegar como advogado.

Todo mundo tem um propósito, embora às vezes seja difícil perceber que ele existe. Então, procure refletir sobre o que, verdadeiramente, o levou a cursar cinco anos de faculdade, estudar para o Exame de Ordem e depois comemorar a aprovação. O que você quer na advocacia?



Sabendo disso, você irá definir com mais propriedade o rumo que deve seguir. Também não irá cair em tentações momentâneas, começar e abandonar projetos, nem ser levado por tendências de momento. Aposte em você.

Além disso, não encare a advocacia apenas como um bico. Não escolha a profissão como um passatempo enquanto não passa em nenhum concurso público. No fim das contas, você não terá sucesso nem na advocacia, nem na busca pelo tão sonhado cargo de servidor público. Ninguém consegue se concentrar – e ser bom – em tantos projetos grandiosos assim.

Então, se você não sabe como ser um bom advogado, essa é a primeira regra a ser seguida.

2. Construa e promova seu nome no mercado

De nada adianta tanto conhecimento jurídico, incontáveis cursos e especializações concluídas, fluência em outros idiomas e um currículo e dar inveja, se ninguém souber que você existe. O seu nome, como profissional, precisa estar em jogo e estar presente no mercado. Quer saber como ser um bom advogado? Invista em você.

E, para isso, é importante investir no marketing jurídico e pessoal. Invista em um site pessoal, crie um blog, construa conteúdos relevantes sobre a sua área de atuação, publique posts interessantes nas redes sociais, por exemplo. Faça seu nome criar asas e voar até onde deve chegar.

Ao mesmo tempo, no entanto, não perca de vista a sua postura perante a carreira. Não invista tanto no nome se não souber se construir como profissional. Desenvolva bons valores e trabalhe a sua imagem, com boas impressões a terceiros. Lembre-se que o principal responsável pela maneira como te enxergam é você mesmo.

como ser um bom advogado

3. Use a tecnologia a seu favor4

Mesmo com o formalismo e toda a tradição centenária que marcam o Direito, a profissão não sobrevive mais sem a tecnologia. As enormes pilhas de processos físicos já deram lugar ao processo eletrônico e as demandas, prazos e tarefas que tomam conta da rotina de um advogado já não estão mais presos dentro do escritório. Em vez disso, ganharam a nuvem, por meio dos softwares jurídicos, e passaram a ser acessados e resolvidos de qualquer lugar, a qualquer hora.

E assim como esses, existem dezenas de outros exemplos que ajudam a organizar e facilitar a rotina com um único clique. É o caso, por exemplo, dos aplicativos que agendam compromissos, alertam para lembretes importantes, organizam tarefas, realizam reuniões virtuais e traçam planos de estudo, por exemplo.

Portanto, use e abuse deles. Se você quer descobrir como ser um bom advogado, saiba que os grandes profissionais não perdem tempo com pequenas questões ou gestão mal feita.
Utilize esse tempo para se dedicar ao que realmente importa.

No entanto, fique atento para o que você anda fazem. Assim como a tecnologia veio para facilitar a rotina, é preciso disciplina para não usá-la de maneira improdutiva.

4. Busque conhecimentos fora do Direito

A advocacia não se sustenta mais apenas com o saber jurídico. Para se dar bem na profissão, o advogado precisa, hoje, ter uma boa visão de mercado, daquela própria dos empresários.

Mesmo que a lei indique que um escritório de advocacia não é, nem nunca será uma empresa, esse conceito é limitado apenas à questão legal. Na prática, o escritório é um negócio como outro qualquer. É preciso atrair clientes, pagar contas, contratar funcionários e se diferenciar da concorrência no mercado, por exemplo.

E justamente por isso, entender de Direito hoje é indispensável, mas não é mais suficiente. A advocacia exige hoje conhecimento fora das questões legais, em áreas como negócios e empreendedorismo, por exemplo.

Mais do que defender o seu cliente, você tem um escritório para manter. E, para isso, precisa saber o que fazer sem que isso ocupe muito tempo do seu dia.

5. Vá além da conquista do cliente; fidelize-o

Manter um bom relacionamento com os clientes não é novidade àqueles que dependem deles para alcançar o sucesso. Mas é preciso que você esteja atento a um detalhe tão importante quanto: mais do que atrair clientes, é preciso fidelizá-los.

E isso tem duas razões. Primeiro, porque é bem provável que o cliente que esteja com você naquele momento volte a ter outros problemas jurídicos no futuro. Ou, então, precise de consultoria e orientações – muitas delas, inclusive, extrajudicial. Para qualquer dessas coisas, no entanto, ele vai precisar de um advogado novamente e, portanto, precisa ter um bom motivo para lembrar do seu nome.

Depois, porque a principal propaganda de um advogado ainda é (e sempre será) a mais velha forma de propaganda já inventada pela humanidade: o boca a boca. Lembre-se que o cliente que esteve no seu escritório hoje pode atrair mais duas ou três ou uma dezena de novos clientes para você. Ou, então, pode afastar essa mesma quantidade. O que você prefere?

Então, se você quer saber como ser um bom advogado, o fato é que vai precisar fazer um atendimento marcante. Dedique-se verdadeiramente o seu tempo ao atendimento de cada cliente. Responda as suas perguntas, concentre-se nele e no seu problema, esteja ali. Além disso, dê retorno, dê satisfação. Esteja presente para se tornar presente na memória daquele cliente.

Esse é o maior dos investimentos para aqueles que querem descobrir como ser um bom advogado.

6. Saiba se comunicar em outros idiomas

Saber falar outras línguas além do português já se tornou uma verdadeira ferramenta de trabalho. Na advocacia, claro, não é diferente. Assim, dominar outros idiomas – especialmente, o inglês – tem o mesmo nível de importância que o próprio saber jurídico.

Portanto, esqueça a ideia de que a profissão está restrita à atuação no país. Mesmo que esteja, nem todos os clientes também vão pensar assim. Afinal, o fenômeno da globalização está mudando essa realidade – e, claro, levando o Direito junto com ela. A economia mundial está cada vez mais integrada e as distâncias entre os mercados reduzidas.

Com isso, as empresas não se contentam mais apenas com uma atuação doméstica. E quem aplica o Direito acaba se deparando com contratos redigidos em outros idiomas, conflitos de leis e obrigações reguladas pelo comércio internacional. E se você não souber analisar e interpretar tais documentos, a falta de preparo pode acabar comprometendo a sua atuação. 

O domínio de outro idioma, portanto, é capaz de abrir portas para mercados importantes e que podem se tornar um trampolim para a sua carreira. Além disso, você ainda poderá sair na frente em áreas inexploradas do Direito e descobrir assim como ser um bom advogado.

7. Busque se especializar em áreas que estão em expansão

O mercado da advocacia está cada vez mais saturado. Basta apenas verificar a quantidade de jovens advogados entrando no mercado todos os anos e, aos poucos, ganhando seu espaço. Então, como ser um bom advogado em meio a tanta concorrência?

Em primeiro lugar, esteja de olho nas oportunidades de mercado. Não se limite em atuar apenas naquilo que gosta. Afinal, é bem provável que essa área já esteja com bastante concorrência e sem grandes oportunidades reais. Então, trabalhe com ela, mas vá além. Busque uma segunda especialização que seja capaz de pagar as suas contas. Aliás, já considere essa condição na hora de escolher uma segunda área para atuar.

Opte por áreas do Direito com boas tendências de crescimento. Em geral, elas sofrem com carência de profissionais e conhecimento jurídico suficiente. Então, pesquise as possibilidades de crescimento no Brasil e no exterior e esteja de olho na movimentação legislativa referente à criação de leis específicas. Afinal, não seria ruim se tornar um dos pioneiros em determinada área de concentração, não?

Essas dicas, apesar de parecer simples, nem sempre são fáceis de serem colocadas em prática. Então, não perca tempo. Agora que você já tem uma ideia de como ser um bom advogado e o que deve ser feito para isso, procure investir em si mesmo e na sua imagem pessoal.

Quer mais dicas de como ser um bom advogado? Faça abaixo seu cadastro e receba os materiais exclusivos do SAJ ADV em seu e-mail.

2 Comentários

  1. Avatar

    Prezados Amigos,
    Tenho muito interesse em conhecer este novo ramo do Direito, tão importante num mundo cada vez mais globalizado e na era digital.
    Para não ficarmos à margem da evolução tecnológica , precisamos nos atualizar.
    Att.
    Alan Sérgio Rodrigues

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *