5 dicas para abrir seu escritório de advocacia AGORA

5 dicas para abrir seu escritório de advocacia AGORA (e com POUCO dinheiro)

Faz um tempo eu venho tendo como principais interlocutores estudantes de direito e advogados iniciantes. Seja através do canal no Youtube, seja através deste blog ou do meu Instagram, com base nos meus 15 anos de experiencia empreendendo na carreira jurídico e no meu escritório de advocacia, eu compartilho dicas práticas do dia a dia e perguntas como essa chegam para mim aos montes.

O cenário é sempre muito parecido: o sujeito acabou de se formar e quer abrir escritório. Ou já está advogando num escritório de advocacia e quer abrir o próprio. Ou está trabalhando em outra coisa e quer definitivamente se dedicar à advocacia….

Enfim, seja lá qual for a sua situação, já sabemos: os recursos financeiros estão escassos e você já decidiu que quer empreender na advocacia. 

A seguir, portanto, 5 dicas bem práticas, realistas e totalmente possíveis para você que quer abrir seu escritório agora e com pouco dinheiro. 

abrir escritório de advocacia

Então anote:

1. Tenha os pés no chão ao abrir um escritório de advocacia!

Segundo informações do IBGE, apenas um terço das empresas que abrem conseguem superar os primeiros anos de existência e continuar no mercado. Essa informação é alarmante e afirma o óbvio: atualmente não há mais lugares para amadores. É preciso haver planejamento. Muitos fatores precisam ser sopesados antes de dar início à criação do seu escritório de advocacia. 



Um dos motivos para esse número astronômico é que muitos dos advogados empreendedores não conhecem seus custos, tampouco projetam suas receitas.

Sei a dificuldade de estabelecer os custos e projeções de receita do escritório, pois também passei por isso. Sei ainda que quando se decide empreender na carreira, a ansiedade por atender clientes, fazer audiências, peticionar e operacionalizar tudo o que se aprendeu na faculdade, por vezes “distrai” o advogado que acaba negligenciando na elaboração de um plano de negócios por exemplo. Mas não se deixe levar pela emoção.

O advogado empreendedor deve, ao menos, saber os principais custos envolvidos na sua atividade. Alguns exemplos são impostos, aluguel, água, luz, internet, anuidade da OAB, marketing, contador, software de gestão, computador, entre outros.

2. Faça alianças estratégicas!

Já ultrapassamos 1 milhão de advogados devidamente inscritos na OAB faz tempo. Isso significa que a concorrência na advocacia é imensa. Você já ouviu aquela frase: sozinho você vai mais rápido, mas juntos vamos mais longe? Pois é…. faça parcerias com outros colegas, outros empresários que tenham o mesmo “publico alvo”que você, em entidades de classe, associações…. mas tome muito cuidado! Pois tem um outro ditado que diz: “me diga com quem andas que te direi quem és”.

As parcerias poderão ajudar a alavancar seus negócios do seu escritório de advocacia, mas uma parceria mal feita pode te queimar, e os efeitos serem extremamente prejudiciais à sua carreira e à sua imagem. Antes de concretizar qualquer aliança estratégica, pesquise a reputação da outra pessoa ou empresa, avalie se de fato vocês tem forcas complementares, pois você não vai precisar de gente para fazer o que você já faz, não é mesmo? E principalmente: por mais que sejam amigos, a vida profissional demandará muita seriedade, tomadas de decisões e sobretudo não se engane: a nossa profissão é essencialmente estressante.

Poucas pessoas procuram o advogado pelo amor… 99% das vezes é pela dor, por medo… há de se ter muita inteligência emocional e equilíbrio. Pense nisso e nos impactos para o seu escritório de advocacia antes de consolidar qualquer parceria.   

3. Defina um nicho para o seu escritório de advocacia!

Saiba quem será o público alvo do seu escritório de advocacia! Saber para quem você vai “falar”é imprescindível para você saber o que falar. Se você vai fazer assessoria jurídica empresarial vai precisar se comunicar de forma diferente do colega que fará advocacia trabalhista cuidando dos interesses dos reclamantes – que são os trabalhadores.

Veja: uma das poucas formas que temos para divulgar nossa expertise é através de conteúdo. Agora eu te pergunto: como você vai fazer para produzir um conteúdo, se você não sabe quem vai consumi-lo? Agora o mais importante: faça um exercício mental e se projete num futuro de sucesso e abundância. Onde você está? Com quem está falando? Talvez este seja um importante começo para definir o seu nicho.

4. Trabalhe em casa! 

Eu sei que o seu sonho quando pensa em “montar um escritório de advocacia” é de fato montar um escritório. Mas calma!!!! Somos advogados. Nossa maior riqueza está dentro de nós. Então seu escritório estará onde você estiver. Eu iniciei minha carreira, fechei meu primeiro contrato trabalhando no quartinho de empregadas da casa dos meus pais. Éramos eu, a pilha de roupas para passar, o tanque, meu computador e muita, muita vontade de trabalhar e vencer! 

No começo, não foque em ter despesas. Foque em estruturar seu modelo de negócios, traçar seus objetivos, planejar seu futuro. 

Mas Flávia, como eu vou fazer para me reunir com o cliente? Fácil: vá numa cafeteria, na empresa do seu cliente, num coworking…. esse é o menor dos seus problemas. Eu te garanto! Os escritórios digitais vieram com tudo e se mostram, cada vez mais, uma ótima escolha na profissão.

5. Invista na sua rede de contatos

Quando começamos, não temos uma carteira de clientes, certo? Certo! Mas temos algo muitíssimo valioso: nossa rede de relacionamento. Quando você começar, olhe cuidadosamente para seus contatos. As pessoas que estão no seu celular, no seu Facebook, no seu Instagram….

Faça duas listas, então:

  • uma de pessoas que poderiam ser clientes do seu escritório de advocacia;
  • outra de pessoas que poderiam te indicar clientes.

Comece por aí. Invista no relacionamento que você já tem. Olhe para cada nome das suas listas de forma estratégica. Anote como pode abordar as pessoas. Onde ir, o que falar, quais serviços poderá “vender”. Seja detalhista. Monte um plano. E ao longo da sua carreira se esforce para cada vez mais ampliar seu networking e fazer esse exercício com cada novo contato. Esse é sem dúvidas o melhor caminho para você e seu escritório de advocacia se fortalecerem no mercado jurídico, ganharem notoriedade e crescerem na carreira de forma sustentável.

Eu espero profundamente que estas dicas lhe sejam úteis, e que você seja um profissional acima da média. Boa sorte!

Quer ficar por dentro de tudo sobre Gestão de Escritórios de Advocacia? Faça abaixo seu cadastro e receba os materiais do SAJ ADV em seu email.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *