4 erros que um advogado não pode cometer na advocacia

Erros comuns na advocacia, mas que um advogado não pode cometer

Gosto muito de compartilhar com os colegas acertos e erros que cometi na minha carreira e que me conduziram até aqui. Nos demais textos aqui do blog do SAJ ADV eu escrevi sobre estudos de caso do meu dia a dia no escritório e hoje vou escrever sobre coisas que eu já fiz, que já vi outros colegas fazendo, mas que nenhum advogado deve repetir! 

Levantei alguns erros que advogado nenhum deve cometer. E, claro, com algumas dicas para advogados. Vamos lá? Ah! E não deixe de colocar nos comentários os erros que você entende ser inadmissíveis na carreira. É como eu sempre digo: vamos juntos por um mundo juridicamente mais feliz!!! 

Erro 1: negligenciar no atendimento ao cliente

Este erro eu confesso que nunca cometi. Isto porque para mim, o atendimento impecável ao cliente sempre foi um grande diferencial. Assim como outros colegas se apegam na tradição, na inovação… eu sempre me apeguei no atendimento. Nunca me arrependi.

erros do advogado

Qualquer que seja seu diferencial competitivo, muito cuidado no atendimento ao cliente. A excelência no trato do advogado com o cliente é fator preponderante para garantir ou não a continuidade da relação de vocês.

Não deixe de retornar ligações, responder e-mails e mensagens o mais breve possível e sempre de maneira completa e atenciosa. Daí você pode estar pensando: mas nem deu tempo do processo andar e o cliente não pára de ligar… 

Daí podemos estar tendo dois grandes problemas:

Primeiro: você pode não ter alinhado as expectativas corretamente com seu cliente. Uma comunicação clara e transparente pode evitar uma série de contratempos. Diga ao seu cliente quais etapas o processo dele vai percorrer. Desenhe se for preciso (eu sempre desenho) ou tenha um esquema já pronto, com o fluxograma da reclamação trabalhista, por exemplo. Nesse esquema tenha  os prazos esperados em cada fase. 



Mantenha seu cliente bem informado sobre o andamento do processo e sobre os prazos previstos. Isso passa uma imagem de cuidado e preocupação com o caso e ajuda a evitar cobranças desnecessárias e repetidas.

E explique também os riscos e possibilidades, mas não apenas porque o Código de Ética da OAB prevê isso em seu art. 9º. Informe também, porque faz parte da construção de uma relação de confiança. Seu cliente, afinal, é a pessoa mais interessado na causa. E está confiando a você questões que são de suma importância a ele e que podem ter grandes impactos na vida dele.

Erro 2: usar o “juridiquês” 

Há 15 anos, no início da minha carreira eu ouvi algumas vezes frases do tipo: “meu advogado é ótimo… mas eu não entendo o que ele fala”. O tempo passou, vivemos conectados o tempo todo, e aquela velha frase deu lugar, então, ao Google, às pessoas conectadas com dezenas de advogados o tempo todo. E assim, (graças ao bom Deus) as pessoas não se contentam mais com informações imprecisas ou nebulosas. 

Comunique-se de acordo com cada tipo de cliente. A linguagem utilizada no atendimento ao departamento jurídico de uma grande empresa é bem diferente do linguajar que deve ser usado em causas individuais, em que os clientes são, em sua maioria, leigos no Direito.

Já dizia o carismático Chacrinha: quem não se comunica, se trumbica. E é verdade! Uma comunicação adequada contribui para a construção de uma boa imagem e de uma boa reputação profissional, além de aumentar as chances de indicações e de fidelização do cliente atendido.

Observe seu cliente. Veja se ele fala rápido, devagar, se usa gírias ou não… ouça-o para que a sua comunicado com ele seja acertava, faca sentido e lhes traga bons resultados.

Erro 3: não ter planejamento

Este erro aqui eu já cometi. Aliás: Para mim é um grande desafio ir contra o meu perfil executor e planejar os passos antes de realizá-los.  

Ocorre que ter um planejamento estratégico para escritórios de advocacia é a melhor maneira de evitar que, na tentativa de fazer tudo ao mesmo tempo, você acabe não conseguindo dar o seu melhor nas tarefas mais importantes. Eu me forço a planejar desde as conversas que terei com os clientes, até a estratégia para a causa na qual estou trabalhando, bem como as idas ao Fórum e demais diligencias. Assim, consigo demonstrar profissionalismo e enfrentar cada desafio com confiança.

Num olhar mais global, é extremamente importante que o advogado tenha clareza de onde está, e de onde quer chegar. E esse talvez seja o planejamento mais importante da sua vida. É sobre esse plano que tudo será construído e que você poderá mensurar se seus esforços estão valendo a pena ou nao, se suas ações estão te conduzindo para onde deveria, se tudo está valendo a pena!

Erro 4: não fazer networking

Já respondi muitos seguidores no Instagram com o seguinte medo: “eu acabei de me formar. Por onde eu começo fazendo networking? Eu não conheço ninguém”…

E a minha resposta é sempre a seguinte: não se desespere! Certamente você tem contatos no celular, no Facebook, no Instagram… olhe para esses contatos com estratégia. Pegue seu planejamento e veja qual perfil de pessoas é interessante para seu escritório. Faça uma lista dessas pessoas. Aborde uma a uma. 

Tenha em mente que relacionamento é tudo, uma extensa rede de contatos ainda é a melhor ferramenta para atrair novos clientes, oportunidades de negócios e novas parcerias, mas cuidado: não vá atrás das pessoas somente por interesse. Tenha no seu coração a premissa de que ter pessoas por perto é muito importante. Tenha certeza de que dar é melhor que receber. Tenha interesse genuíno pelas pessoas. Ainda que no início isso seja “forçado”, com o tempo isso passará a ser natural.  

Sendo assim, invista em networking jurídico desde o começo. Frequente eventos diversos, vá a reuniões em que seus possíveis clientes estejam e esteja sempre preparado. Lembre-se: é importante frequentar eventos jurídicos e estar em contato com outros advogados, mas lá você irá encontrar colegas de trabalho, possíveis parceiros. Contudo, não serão seus clientes. Temos de traçar, portanto, uma estratégia para cada evento a que formos.

Manter um bom relacionamento com seus contatos e buscar ampliar os seus relacionamentos profissionais é essencial para alcançar o sucesso na advocacia, ajudando a fechar novos negócios e potencializando o aprendizado com a troca de experiências.

Errar faz parte do aprendizado de todo advogado

Quem nunca cometeu um erro desta lista, não é mesmo? Eu tenho para mim que errar faz parte do aprendizado, e que conseguir aprender com os erros dos outros evita perder tempo e nos faz abrir os olhos para um universo de possibilidades. Assim, pode-se enxergar coisa que talvez nunca tenham passado pela nossa mente. E isto é normal.

Se você também acredita no poder do conhecimento compartilhado, conte para nós: qual erro cometeu ou viu cometerem e que pode ser evitado com simples práticas? O que você já aprendeu ao observar outros colegas?

Quer ficar por dentro de tudo sobre a Carreira de Advogado? Faça abaixo seu cadastro e receba os materiais do SAJ ADV em seu email.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *