Gestão de custos eficiente para escritórios de advocacia

Tempo de leitura: 5 minutos

Apesar de a advocacia não ser considerada uma atividade mercantil, os escritórios funcionam como empresas, uma vez que têm funcionários, pagam tributos, possuem despesas fixas, etc. Por isso, o gestor de um escritório de advocacia precisa estar atento à gestão de custos. No artigo Gestão de Custos em Escritórios de Advocacia, os professores doutores Altair Borgert e Bernadete Pasold, do Departamento de Ciências Contábeis da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), defendem que as bancas normalmente utilizam a contabilidade apenas com finalidade fiscal, pois desconhecem a existência da contabilidade gerencial, e exercem controle financeiro de forma intuitiva. “A adoção de um sistema de gerenciamento de custos, certamente, propiciará informações úteis que possibilitarão, além de um maior conhecimento sobre a situação econômico-financeira, o controle dos gastos e o estabelecimento de prioridades na atuação advocatícia”, escrevem.  

A gestão de custos é fundamental para a manutenção de um escritório e deve-se ter atenção a ela desde o momento em que se começa a planejar o negócio. Advogados têm que planejar-se financeiramente ainda melhor do que profissionais de outras áreas, já que a maior parte de suas receitas são imprevisíveis. Nas ações judiciais, que geralmente são a maior fonte de renda dos escritórios, o cliente paga um pequeno valor inicial e o restante no fim da causa, se tiver êxito. Por outro lado,  as bancas têm despesas e custos fixos, como salários de colaboradores, aluguel, conta de luz, entre outros.

A gestão de custos em um escritório de advocacia:

Saber precificar os serviços jurídicos e fazer o controle dos pagamentos são os primeiros passos para a gestão de custos de um escritório. A referência para definir os honorários advocatícios é a tabela da OAB, porém, ela deve ser utilizada em obediência ao princípio da razoabilidade. Antes de assumir qualquer demanda, é necessário saber calcular o custo necessário para a realização do serviço, que deve considerar desde a manutenção do escritório, até os gastos com o tempo despendido em reuniões, estudo, pesquisa e tramitação do processo com possibilidade de interposição de recursos e embargos.

A elaboração de um contrato que contenha os serviços que serão prestados e o valor acordado evita discussões futuras e traz mais segurança para a gestão financeira do escritório. É importante que o cliente esteja informado sobre todo o planejamento e movimentações que o escritório de advocacia faz na condução de sua ação judicial. Isso é possível a partir de reports periódicos dos advogados ao cliente, via e-mail ou por softwares específicos, e mostra que o trabalho desenvolvido vai além dos passos que envolvem diretamente o cliente.

Separando o pessoal do profissional

Outro ponto importante na gestão de custos  é a organização: o gestor do escritório jurídico deve separar as contas pessoais das finanças da empresa, despesas domésticas não devem entrar na planilha de custos do escritório. É essencial saber exatamente quais são os custos da banca, o que facilita a listagem de despesas fixas e variáveis, como impostos, custas processuais e viagens. Muitas custas processuais, por exemplo, têm prazos para pagamento e nem sempre é possível repassar ao cliente em tempo hábil. Pense em quantas vezes você pagou um valor e não lançou no relatório. Lembre-se: para uma melhor gestão de custos, é importante manter prazos e contas em dia, por isso atualize constantemente a planilha ou o software de gestão do seu escritório.



Como boa parte da receita de um escritório de advocacia é variável, recomenda-se reservar um percentual dos honorários para a manutenção das despesas, bem como criar um fundo de reserva, o que contribuirá para o fluxo de caixa. É necessário registrar com precisão todas as despesas relacionadas ao trabalho, mesmo as que possam parecer irrelevantes, como deslocamentos e reembolso de despesas dos clientes.

gestão de custos

A tecnologia como aliada da gestão de custos:

Não é possível organizar a gestão de custos sem, pelo menos, uma planilha. Tal recurso facilita a compreensão das finanças e o gerenciamento do fluxo de caixa. No entanto, apesar de bastante funcionais, as planilhas são limitadas. Uma forma mais prática de realizar a gestão de custos do escritório é utilizar softwares. Esses sistemas se dividem entre os genéricos, como o Conta Azul, que podem ser utilizados por qualquer empresa, e os desenvolvidos exclusivamente para escritórios de advocacia. Um software jurídico como o SAJ ADV permite, entre muitas outras funções, o controle de receitas e despesas do escritório por meio do acompanhamento de contas a pagar e receber, inadimplência de clientes, gerenciamento de movimentações financeiras e controle de reembolsos. Usando o módulo Financeiro é possível ainda gerar relatórios como DRE (Demonstrativo de Resultados do Exercício), fluxo de caixa, melhores clientes, inadimplentes e contas a pagar.

A gestão de custos já é uma preocupação do seu escritório de advocacia? Você faz algo além do que recomendamos para aprimorá-la? Compartilhe sua experiência conosco nos comentários.

Quer ficar por dentro de todas as novidades sobre escritório de advocacia? Faça seu cadastro e receba nossos materiais exclusivos diretamente em seu email.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *