Gestão de pessoas em um escritório de advocacia

Tempo de leitura: 3 minutos

(Last Updated On: 4 de julho de 2018)

Seu escritório de advocacia precisa trabalhar bem sua gestão de pessoas. Esse conjunto de estratégias minimiza as chances de você perder bons profissionais.

Quando um grupo de amigos recém formados decide unir forças e montar seu próprio negócio, é normal que, em um primeiro momento, todos façam um pouco de tudo, do atendimento de clientes ao pagamento das contas de água, luz e telefone. Porém, com o passar do tempo e o aumento da complexidade das atividades do escritório de advocacia, o que deveria ser um situação provisória, torna-se definitiva, permanente. Embora as tarefas operacionais sejam deixadas a cargo de estagiários e secretárias, o conceito de que todos fazem tudo acaba por prevalecer, o que frequentemente significa desperdício de energia, custos mais elevados e maior esforço por parte de todos.

Este é apenas um dos problemas que a má gestão de pessoas traz ao escritório de advocacia.  Aspectos como o papel do líder, a importância do processo de comunicação e os processos e técnicas de atração, seleção e retenção de talentos, sequer são discutidos pelos sócios. Quando muito, estes assuntos são abordados quando se tornam um problema legal para o escritório de advocacia.

Valorizando pessoas e colhendo resultados

Problemas como a falta de autonomia na execução das tarefas, a inexistência de programas de participação nos resultados, a falta de perspectiva de crescimento e, até mesmo, a sobrecarga de trabalho, apontados pelas pesquisas como os principais responsáveis pela rotatividade de pessoal nos escritórios de advocacia, são, quando muito, uma preocupação “distante”, quando, na verdade, deveriam ser uma preocupação “constante”. Isso evitará, em certa medida, que os bons profissionais deixem o emprego atual pata empreender por conta própria. A remuneração variável, com base na meritocracia, e a avaliação de desempenho formal, seguida de um plano de desenvolvimento individual são questões que melhoram de forma significativa a performance dos profissionais de qualquer empresa. Mas, para isso, é preciso dedicar um pouco de tempo do líder a estas atividades.

Escritórios de advocacia como o Aidar SBZ, um dos mais admirados de São Paulo, já adotam algumas dessas práticas. E este não é o único caso. O KLA – Koury Lopes Advogados, fundado em 2002, que conta com 110 advogados, investe em um plano de carreira bem estruturado, que permite que os honorários e participação nos lucros evoluam ao longo do tempo. Ainda de acordo com a revista, no Stocche Forbes, são realizadas reuniões mensais com todos os colaboradores. Nessas, os principais os números são apresentados. Lá os bônus são ilimitados e os honorários calculados sobre a média de todos os advogados, para evitar competição interna.

Escritório de Advocacia



Ajustando rotas e fortalecendo estratégias

Resumindo. Como toda organização baseada em conhecimento técnico especializado, fundada e administrada por técnicos, chega um momento em que os sócios do escritório de advocacia precisam parar e se perguntar: estamos no caminho certo? Certamente, muitos concluirão que precisam de uma reorganização, adaptando-se a sua nova realidade gerencial. São as “dores do crescimento”. Assim, busquem outros escritórios que são casos de sucesso nas áreas em que sua gestão está falhando. E, na medida do possível, adaptem essas práticas vencedoras a sua realidade.

Quer ficar por dentro de todas as novidades? Faça seu cadastro e receba nossos materiais exclusivos diretamente em seu email.

 

>

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *