Honorários Advocatícios – Como cobrar corretamente e sem complicações

Tempo de leitura: 5 minutos

Sabe porque fazer o cálculo dos honorários advocatícios corretamente é uma tarefa tão difícil? Porque a maioria dos advogados não consegue precisar a quantidade de tempo gasta em cada caso. Além disso, boa parte dos profissionais sequer têm ideia de quanto os seus serviços efetivamente custam, considerando os recursos necessários para executá-los.

Obviamente que existem fatores subjetivos que compõe a precificação e escapam às previsões até mesmo de profissionais experientes. No entanto, isso não exclui avaliar certas questões na hora de calcular seus honorários, que ajudam o profissional a chegar mais perto de preços competitivos e justos.

Para saber o que considerar na hora de calcular seus honorários advocatícios, não deixe de acompanhar nossas dicas!

Quanto custam seus serviços efetivamente?

Você já se fez essa simples pergunta? Um dos erros mais frequentes cometidos pelos advogados na hora de calcular seus honorários advocatícios é focar-se somente nos valores praticados pela concorrência.

No entanto, para se chegar a um bom valor, é necessário que o preço final dos honorários advocatícios seja sustentável para o seu negócio. Em outras palavras, se o valor do seu serviço não contempla minimamente o custo de todos os recursos necessários para a execução do trabalho, o advogado está saindo no prejuízo.



É fundamental que o profissional tenha ciência de seus custos fixos para saber quanto deve cobrar minimamente pelos seus serviços. O uso de um software jurídico pode ser uma ótima ferramenta para que o profissional saiba quanto efetivamente tem de gastos. Além de chegar no valor mínimo que deve cobrar.

[Tem dúvidas sobre o que considerar na cobrança de honorários advocatícios? Confira também nosso checklist!]

Critérios subjetivos também entram no valor

Quando se trata de uma atuação contenciosa, por exemplo, algumas externalidades do processo também devem influenciar no cálculo do valor dos honorários. Dependendo do tipo de processo, das chances de êxito e até da vara onde é distribuído, o caso pode ganhar menos ou mais complexidade. E isso deve ser considerado no custo final dos honorários advocatícios.

Alguns advogados gostam de cobrar por êxito, por exemplo. Essa modalidade, embora seja mais arriscada, pode implicar na cobrança de valores maiores pelo profissional.

Assim, considere não apenas as questões objetivas, mas também as externalidades que podem fazer com que o advogado gaste muito mais tempo em determinados casos.

Tenha como parâmetro trabalhos realizados anteriormente

Outra dica interessante é utilizar outros trabalhos como parâmetro na hora de precificar seus honorários advocatícios. Com um pouco de experiência, o advogado costuma ter uma noção de quanto tempo gasta para elaborar uma peça, um contrato, ou mesmo um relatório. Porém, para profissionais que querem ser assertivos, o uso de um software jurídico oferece todos esses dados de forma objetiva, possibilitando que o profissional tenha ainda mais segurança na hora de calcular seus valores.

Use tabela da OAB

Além de utilizar seus próprios trabalhos como parâmetro, o profissional também deve usar a tabela da OAB como referência. Essa tabela é específica para cada um dos estados e, na maioria das vezes, estabelece os valores mínimos a serem cobrados por serviço. Não é recomendado que o profissional cobre abaixo dos preços estabelecidos na tabela da OAB.

Para quem está começando na carreira, ou ainda, tem dúvidas sobre a competitividade dos valores praticados, usar a tabela da OAB pode ser uma boa alternativa, afinal, ela estabelece limites mínimos de precificação que ajudam a regular o mercado da advocacia.

Custas processuais e emolumentos

Existem diferentes formas de se cobrar pelos serviços jurídicos. Por isso, também existem diferentes formas de se precificar os honorários advocatícios. Quando falamos do contencioso, por exemplo, a maioria dos advogados cobra os honorários separados das custas processuais e demais emolumentos. Porém, nada impede que o advogado cobre por um pacote de serviços.

O importante é que as regras estejam claras no contrato de prestação de serviços, para não evitar surpresas desagradáveis.

[Sabe como elaborar um bom contrato de honorários? Então, clique e saiba mais!]

Honorários advocatícios: Cobrar barato versus cobrar de forma justa

Para combater a alta concorrência do mercado, alguns advogados optam por baixar ao máximo o valor dos seus honorários advocatícios. Essa estratégia, no entanto, pode até trazer mais clientes no início, porém depois de um tempo, o profissional se vê assoberbado e desmotivado, afinal, trabalha muito e não vê resultados financeiros.

É mais importante que o preço seja justo do que competitivo. Na hora de precificar seus honorários advocatícios, a palavra de ordem é sustentabilidade. Com honorários justos, o profissional consegue consolidar sua carreira e a estrutura seu escritório para se desenvolver.

Foque nos seus valores! Isto é, cobre valores que considerem suas despesas e lucro para o seu negócio possa prosperar. Esse é o segredo de sucesso de muitos advogados e muitos escritórios que vem ganhando espaço no mercado.

Quer ficar por dentro das novidades sobre gestão de escritório de advocacia? Faça seu cadastro e receba os materiais exclusivos do SAJ ADV diretamente em seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *