Honorários advocatícios: como podemos melhor determiná-los?

Tempo de leitura: 2 minutos

(Last Updated On: 4 de julho de 2018)

Como precificar minha atividade profissional? Uma questão que aflige muitos advogados é como melhor determinar seus honorários advocatícios.

Quanto devo cobrar por meus serviços? Esse valor será suficiente para me manter? O valor cobrado é justo com quem está tomando tal serviço? Devo praticar um valor menor em princípio para formar uma clientela? Todas estas perguntas assombram as pessoas que se lançam ao desafio de empreender. E no caso dos honorários advocatícios não é diferente.

Do ponto de vista prático, o advogado deveria socorrer-se da tabela da OAB, que existe justamente para esse fim de precificação de serviços advocatícios. Porém, deve-se destacar que esta é uma referência, que deve ser utilizada em obediência ao princípio da razoabilidade. Sua função essencial é evitar a concorrência desleal, uma vez que a atividade advocatícia difere das demais atividades mercantis em sua natureza. Afinal, o advogado é um agente da justiça.

Assim, resguardadas as questões éticas, esse profissional precisa lembrar-se que seu escritório, em última análise, é também um negócio que depende da prospecção de clientes para sua sobrevivência. Logo, antes de assumir qualquer demanda, o advogado deve saber calcular o custo necessário para realização de seu serviço, que envolve o custo de manutenção de seu escritório, os gastos com o tempo despendido em estudo e pesquisa, a possibilidade de recursos, embargos e apelações, e os demais gastos que terá do começo ao fim da ação.

Honorários advocatícios

Especialização como forma de agregar valor

Além disso, você deve considerar também o quanto é ou não especialista na área em que atuará. Essa especialização tende a vir com o tempo. Advogar exige experiência e produção intelectual. Por isso, uma dica interessante é buscar se especializar em uma determinada área, em um tipo específico de ação, para em um futuro próximo poder cobrar mais por seus serviços.



Lembre-se, no entanto, que é difícil para o cliente perceber tudo isso e cabe ao advogado ajudá-lo a entender essa difícil equação. Demonstre principalmente o valor que ele está adquirindo ao contratar seus serviços, baseado fundamentalmente no seu conhecimento. Esclareça que uma mesma ação pode seguir variados caminhos, o que torna sua causa única. Por fim, lembre-se que o fechamento do contrato não é o fim e sim o início de um relacionamento com seu cliente, rumo a fidelização.

 Confira a tabela de honorários advocatícios da OAB de Santa Catarina e São Paulo:

Quer saber tudo sobre honorários de advogados? Faça abaixo seu cadastro e receba os materiais exclusivos diretamente em seu email.

>

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *