Inteligência Artificial no Direito: você está preparado para essa mudança?

Inteligência artificial é um ramo da computação, baseado no machine learning e no deep learning, que automatiza o processamento de dados. O termo foi cunhado na década de 50 do século XX e tem aplicabilidade em diversos setores, entre eles o da advocacia.

A disruptura do Direito alavancada pela inteligência artificial

É bem provável que você tenha assistido ao filme “MATRIX” e ficado com receio de ser uma premonição de que o mundo seria mesmo dominado por um sistema inteligente, que manipula a mente humana, não é? Mas calma! Talvez você não tenha sido o único. A boa notícia é que a Inteligência Artificial (IA) vem trabalhando a favor da vida humana em diversas áreas, inclusive na jurídica.

Máquinas que pensam sozinhas e conseguem exercer comandos nunca inseridos em seus códigos podem realmente assustar. Afinal, ninguém deseja perder a sua autonomia para uma invenção. Contudo, por mais que o tema pareça aterrorizante, a tecnologia já é aplicada na rotina humana e em lugares que você sequer imaginaria. E nada disso. Não é uma dominação – ao menos não nos moldes das irmãs Wachowski. É a tecnologia em prol da facilidade no dia-a-dia.

No Direito, o tema ganha cada vez mais destaque. O Projeto Victor reacendeu o debate da aplicabilidade da inteligência artificial nos julgamentos. Mas apesar da relevância dessa discussão, a IA também está presente em outros setores jurídicos. É o caso por exemplo de um software jurídico com machine learning, como o SAJ ADV.

Nesse artigo, então, você lerá sobre:

  • o que é Inteligência Artificial (AI)?
  • aplicação no mundo jurídico.

Quer entender mais sobre a aplicação da Inteligência Artificial? Continue a leitura logo abaixo.

inteligência artificial

1. O que é a Inteligência Artificial (IA)?

O termo Inteligência Artificial teve seu início na década de 50, mais precisamente em 1956, quando o cientista John McCarthy assim o batizou. No entanto, cabe lembrar que, anterior a isso, o cientista da computação Alan Turing já vinha especulando sobre o tema. Daí por diante os avanços foram muitos. E nos anos 2000, a IA teve um salto significativo na tecnologia, pontualmente demonstrando, desse modo, um aumento na capacidade de processamento de dados.



Devido à sua capacidade de raciocinar, decidir, ou ainda, (de certa forma), solucionar determinados problemas, a Inteligência Artificial consegue processar uma quantidade muito superior de dados em comparação a um ser humano. E torna-se, portanto, uma grande e importante aliada, principalmente nos trabalhos repetitivos, algo muito comum na área jurídica. Quem nunca desejou ter um robô para fazer o controle das intimações?

Um dos maiores desafios, todavia, é conciliar uma linha de pensamento mais conservadora com as tecnologias e inovações da advocacia 4.0.

Por essa razão, você verá como a inteligência artificial é aplicada no mundo jurídico e como o mindset precisa se transformar dante da inserção da IA na advocacia.

2. Aplicação da IA no mundo jurídico

“Os advogados serão substituídos por robôs?”. Este é um dos grandes medos dos advogados quando se fala de inteligência artificial na advocacia. E várias palestras, então, decorrem desse questionamento, como as abordadas em texto sobre a Lawtech Conference. A ideia, contudo, de que os profissionais poderão ser substituídos por robôs não se aplica, pois o trabalho do advogado é, em suma, ligado à sensibilidade. Demanda, então, emoções, feeling e a sagacidade em entender cada cliente e suas necessidades.

Um cliente não chega ao profissional querendo apenas uma resposta padrão, em um simples processo de subsunção da norma. Isto o cliente já pode conseguir, inclusive em consulta ao Google. O que ele deseja é alguém que compreenda a sua necessidade, alguém que entenda o seu problema e que lute pela solução da sua demanda. E com essas particularidades, apenas um ser humano, com a sua criatividade e sensibilidade, poderá trabalhar.

3. Inteligência artificial em software jurídico

O viés tecnológico, enfim, amplia possibilidades e segue em crescimento contínuo. Essa ciência capaz de simular o raciocínio e comportamento humano não deixa dúvidas de que estamos na era movida a dados. Isto reduz a subjetividade e os trabalhos repetitivos, torna o processo mais eficiente e permite que o advogado dedique mais tempo e atenção às demandas intelectuais.

A tecnologia vem demonstrando quão benéfica ela pode ser ao trabalho do advogado, que se vê cercado de demandas repetitivas, que ocupam o seu tempo com trabalhos que podem ser feitos pela IA.

Por outro lado, em termos práticos, a tecnologia vem atuando em:

  • gerenciamento de tarefas e atendimentos;
  • captura de processos pelo número da OAB; e
  • armazenamento de dados de forma mais segura.

Um diferencial do SAJ ADV, é contar com um time de IA que desenvolve aplicações relacionados a machine learning e deep learning. A equipe é composta tanto por juristas quanto por desenvolvedores, pois, assim, é possível conciliar o uso da tecnologia com o conhecimento jurídico. E desse modo, visa-se desenvolver uma ferramenta que atenda às reais necessidades dos escritórios de advocacia.

4. Inteligência artificial do SAJ ADV

Um exemplo disso é a possibilidade de que, a partir da leitura de uma intimação, a IA identifique qual tarefa deve ser criada, otimizando cada vez mais a vida dos advogados. O uso da inteligência artificial ocorre da seguinte maneira no SAJ ADV – software jurídico:

  1. o software, através de robôs, faz a captura de intimações eletrônicas de tribunais que as disponibilizem em portais e não exijam confirmação;
  2. quando você recebe a intimação, a inteligência artificial do SAJ ADV sugere um modelo de tarefas;
  3. assim, logo que você recebe a intimação, pode cadastrar uma tarefa com prazo processual padrão, inclusive de acordo com o Novo CPC.
  4. a partir disso, então, você pode criar, delegar e acompanhar as suas tarefas e de toda a sua equipe.

Agora, imagine quanto tempo da sua rotina não pode ser economizado com essas funcionalidades. E tudo isso graças ao avanço da tecnologia e às possibilidades da inteligência artificial. É claro que é preciso pensar em temas como a responsabilidade civil pela IA ou os riscos da tecnologia. Mas também há um lado bastante positivo, que facilita as tarefas mecânicas recorrentes na advocacia. E permite, assim, que o advogado se dedique às tarefas propriamente jurídicas.

E você? Já conta com os benefícios da Inteligência Artificial na sua rotina de trabalho? Por que não experimentar gratuitamente a inteligência artificial do SAJ ADV?

Escrito por:

Livia Siqueira, legal OPS do SAJ ADV. Advogada com experiência em assessoria e assistência jurídica para Startups e responsável por otimizar a prestação de serviços jurídicos para o SAJ ADV, com foco em operações jurídicas. Atua diretamente com a equipe de Inteligência Artificial pensando, organizando e validando demandas para que os cientistas de dados criem soluções inovadoras.

Quer ficar por dentro de todas as novidades de nosso software jurídico? Faça seu cadastro e receba os materiais exclusivos do SAJ ADV em seu email.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *