Marketing digital: o Instagram é uma boa estratégia para o advogado?

Tempo de leitura: 9 minutos

Ao longo dos últimos três anos, venho desenvolvendo estratégias de atração de clientes por meio do marketing digital. Muita coisa já deu certo, mas também outras tantas deram errado.

E é sobre essas experiências que vou falar hoje no post.

O Instagram como marketing digital

Uma questão que posso falar com tranquilidade é que o Instagram está longe de ser uma boa estratégia de marketing digital. Ou seja: de atração e prospecção de clientes na advocacia. Embora muitos torçam o nariz por conta dessa afirmação, é a mais pura verdade.

E eu vou explicar os motivos.

Acesse o seu Instagram agora e veja quais perfis você segue e que não são seus amigos. Posso imaginar alguns, já que a maioria envolve carros, receitas, gastronomia, esportes, notícias, moda, viagens, cupons de descontos de restaurantes. Acertei?



Pois é. O Instagram é uma plataforma para você consumir esse tipo de conteúdo, e não para pesquisa de problemas jurídicos. Imagine, por exemplo, uma pessoa que adoeceu, vem sentindo uma dor desconfortável e está preocupada com os sintomas. Onde ela irá buscar informações sobre isso e sobre os profissionais que podem ajudá? No Google (que pode levar a um vídeo no Youtube) ou no Instagram?

Nesse momento, eu penso, por exemplo, o que eu faria, se fosse comigo. Por isso, acredito que a maioria das pessoas acessarão o Google, ou mesmo o Youtube, para procurar mais informações sobre aqueles sintomas. É bem difícil, por exemplo, alguém seguir um médico com antecedência no Instagram, sem ter um sintoma de uma possível doença.

Mas, atenção: não estou dizendo que o médico não terá seguidores no Instagram. O que quero dizer é que, em geral, eles são pessoas que o conheceram por indicação. Ou, então, quando fizeram pesquisas no Google e gostaram das dicas ou do tipo de conteúdo que ele está divulgando.

O Instagram como marketing digital para advogados

O mesmo raciocínio serve para o público que precisa de advogado. Se um casal está vivendo feliz, por exemplo, dificilmente, um deles irá seguir um perfil de advogado familiarista (ou, pelo menos, em relação à união deles) no Instagram.

Mas essa situação familiar pode mudar a qualquer momento, no entanto. Se este mesmo casal entra em crise e começa a pensar no divórcio, guarda dos filhos e partilha de patrimônio, por exemplo, é muito provável que eles busquem informações de advogados especialista nessa área. Aí, mais uma vez, a primeira busca de informações provavelmente será feita no Google. Somente ao encontrar um advogado que lhes interessa é que a probabilidade de fazer uma pesquisa no Instagram e passar a seguir o perfil dele, ou do escritório, aumenta.

A questão é que o perfil de advogado ou de escritório de advocacia não é um tipo de perfil que pessoas comuns, sem qualquer tipo de demanda que necessite do causídico, vai seguir no Instagram. Ao contrário de outras necessidades do dia a dia, por exemplo. Se você segue contas de culinária no Instagram, provavelmente é porque gosta de cozinhar. Ou, então, se  segue perfis de empreendedorismo é porque quer empreender ou já é empresário.

O contrário, no entanto, é muito difícil de acontecer. Ninguém vai seguir perfil de advogado no Instagram imaginando que, futuramente, vai ter um problema naquela área. Ninguém pensa em ter um advogado especialista em sucessões na manga, sabendo que um dia vai precisar fazer o inventário dos pais, por exemplo.

marketing digital

Como, então, atrair clientes pelo Instagram

Mas apesar de todos os argumentos, posso afirmar também que o Instagram pode ser uma plataforma de atração de clientes e, portanto, de marketing digital. Parece contraditório, mas é isso mesmo.

O Instagram se torna uma interessante ferramenta de atração de clientes por meio da estratégia de fortalecimento de marca. É o caso, por exemplo, do advogado criar um perfil profissional, seja dele ou do escritório, e começar a produzir bons conteúdos voltados para o fortalecimento de sua marca profissional.

E o que seria isso?

O conteúdo produzido no Instagram deve ser atualizado de maneira frequente com posts e stories. E o foco deve estar sempre em mostrar a(s) especialidade(s) daquele profissional ou escritório.

E como isso vira dinheiro (cliente)?

Ao contrário do que mencionei antes, é normal que outros advogados, contadores, e algumas empresas sigam perfis de advocacia no Instagram.

Dessa forma, a produção de conteúdo frequente, focada em enfatizar a área de atuação do profissional, é que pode se tornar efetiva. Assim, quando algum deles tiver alguma demanda naquela área, e caso não atue, pode se lembrar dos posts divulgados por aquele perfil e entrar em contato com o escritório para propor uma parceria. Esse tipo de atitude, aliás, costuma ser bem comum. E o Instagram, como se vê, é uma ótima plataforma para esse tipo de contato.

Não são raras (apesar de não serem frequentes) as mensagens que recebo no Instagram de outros colegas advogados que pegam alguma demanda na minha área de atuação e perguntam se posso atuar em parceria. E tenho certeza que isso acontece também com outros colegas.

Além disso, um dado importante é que boa parte desses colegas nem me conhece. Em algum momento, eles encontraram meu perfil no Instagram e passam a acompanhar minhas postagens.

Os tipos de postagens no Instagram

O fortalecimento de marca com foco na área de atuação do escritório, que mencionei anteriormente, não significa que, todo dia, você deve postar que atua naquela área. Nada disso.

O ideal é que o perfil contenha posts que façam alguma abordagem sobre a área de atuação do profissional. Isso não quer dizer, no entanto, que ele deve se limitar apenas em repostar conteúdos de perfis do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), do Senado Federal ou do Superior Tribunal de Justiça (STJ), por exemplo.

Esse tipo de repostagem não gera engajamento algum. Tampouco é capaz de criar a autoridade de algum advogado. Isso porque são postagens públicas, que podem ser acessadas e encontradas em qualquer lugar, que muita gente replica e que todo mundo pode “printar”. E justamente por ser um assunto que aparece muito, quando a pessoa vê aquilo novamente, a tendência é que ela passe direto sem perceber que aquele perfil era de um advogado/escritório.

Mas, então, o que postar?

Muitos advogados têm dificuldade em criar conteúdo para postar nas redes sociais. E é por isso que, muitas vezes, se limitam a apenas replicar notícias de outros portais.

Veja, então, algumas dicas de como fazer postagens interessantes para gerar engajamento no Instagram.

Aposte nos vídeos

Seja nos stories, no feed, ou no IGTV, os vídeos são armas poderosas de engajamento no Instagram.

O advogado, então, pode se valer disso. Ele pode, por exemplo, fazer vídeos comentando decisões que saíram nos portais de notícias. Ou, então, explicar sobre determinado assunto de maneira acessível àqueles que não são especialistas na área, nem do meio jurídico.

O cuidado, aqui, é não ser prolixo. Como o Instagram limita o tempo dos vídeos, o advogado deve ser breve e trazer uma informação de muita relevância nesse pouco espaço de tempo. Ou seja: que tenha força suficiente para chamar a atenção dos seguidores e fazê-los assistir o vídeo por completo. Um cuidado, no entanto: não caia no lugar comum, nem faça mais do mesmo.

Comente sobre notícias e novidades

Outro tipo de post que o advogado pode fazer envolve as notícias que estão sendo divulgadas em algum portal. Para se diferenciar, portanto, é interessante que ele se concentre em tecer comentários sobre aquilo, demonstrando o seu conhecimento na área, e não apenas replicando o que foi falado. É nesse sentido que ele consegue mostrar o seu diferencial.

Veja um exemplo de como isso pode ser feito:

A prisão do João da Silva é ilegal, pois a lei fala isso isso e isso. E a jurisprudência, nesses casos, é no sentido disso disso e disso.

O importante, então, é expor a própria opinião dentro do caso concreto, sempre com bases jurídicas.

Escreva miniartigos

Outra boa estratégia é escrever um pequeno artigo junto com uma foto legal (vinculada ao tema que foi escrito, portanto).

Isso também pode chamar a atenção do seguidor e dos futuros seguidores, que tenham interesse em ler aquilo, ou, então, marcar outras pessoas para lerem também.

Traduza os julgados para quem não é da área jurídica

Existem decisões interessantíssimas que são só divulgadas nos sites dos Tribunais, e, às vezes, por falta de repercussão, a mídia não dá ênfase a elas. E muitas pessoas nem ficam sabendo do seu conteúdo que, às vezes, pode interessar.

Assim, se o advogado apenas copiar a decisão em seu Instagram, terá dois problemas:

  1. quem não é da área jurídica não vai entender quase nada.
  2. o texto provavelmente não vai caber na postagem, devido à limitação de caracteres permitidos.

Sendo assim, o advogado pode “traduzir” o juridiquês daquele julgado para quem é leigo. Uma explicação clara e sucinta sobre o que o Tribunal decidiu sobre determinado assunto pode ser um diferencial bem importante.

Em resumo, o Instagram pode não ser a melhor ferramenta para atrair clientes na advocacia. Mesmo assim, não deixa de ter uma importância revelante dentro do conjunto.

Então, se você tem tempo de focar em apenas uma plataforma, não sugiro o Instagram. Prefira outros meios, como os artigos escritos em blogs e plataformas jurídicas, por exemplo. Mas se você já tem uma estratégia de marketing digital dando retorno, não há motivos para não começar o seu Instagram profissional.

Quer ficar por dentro das novidades sobre marketing digital e marketing jurídico? Faça abaixo seu cadastro e receba materiais do SAJ ADV em seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *