Marketing jurídico: estratégias para escritórios de advocacia

Assim como em qualquer segmento, o marketing possui um papel extremamente fundamental para o sucesso de uma empresa. E isso pode começar ainda antes dela tomar forma, de fato. Com ajuda do marketing jurídico, por exemplo, é possível analisar questões de planejamento e organização do seu escritório de advocacia. E isso pode incluir até mesmo o local onde ele será instalado.

Assim, o marketing é um processo estratégico que possui vieses homogêneos de um processo de criação, planejamento e desenvolvimento de um produto ou serviço. A finalidade disso é a busca pela satisfação de um segmento/nicho, diante da dor (problema) de seus clientes. Simples assim.

Nesse contexto, é preciso verificar a maneira como as pessoas passaram a investigar os produtos e serviços antes de adquiri-los, considerando que esse comportamento mudou em alguns segmentos. O que o profissional de marketing deve ter em mente ao desenhar um plano de marketing jurídico, portanto, são as normas da profissão que restringem a propaganda. Seguir as premissas do Código de Ética da OAB é algo básico. Todo o planejamento é feito a partir dessas delimitações.

Atualmente, a internet é o veículo de comunicação mais eficaz para as empresas divulgarem seu trabalho e fortalecerem sua marca. 

Marketing jurídico: por que devo investir?

Assim como os consumidores mudaram sua forma de adquirir um serviço ou produto, as empresas também devem mudar suas estratégias. E elas devem envolver, especialmente, as ações realizadas na internet e em um site do escritório, por exemplo.

Nesse sentido, o marketing jurídico digital também ajuda seu escritório a ter um melhor entendimento do público. Além disso, ainda auxiliar você a se tornar referência no segmento que pretende traçar. Por isso, ter uma presença forte em eventos, sites e publicações especializadas geram valor e criam um networking eficaz, o garantindo boas avaliações e recomendações por parte de colegas.



Ao lidar diretamente com a elaboração e atualização do site do escritório, o processo do marketing jurídico se compõe por elementos sequenciais fundamentais. É o caso, por exemplo:

1. Planejamento

Nessa etapa será necessário fazer um levantamento de mercado externo das proximidades do local onde o escritório precisa se instalar. É sempre muito importante começar com os dados e fatores internos do seu escritório: o que ele oferece, quais são os tipos de clientes a serem abordados, como se pretende abordá-lo, qual a metodologia a ser usada e como fazer estratégia de Sistema Integrado de Marketing (SIM), por exemplo.

Afinal, são esses dados que darão uma visão estratégica para os gerentes.

2. Elaboração

Elabore um site jurídico que tenha vantagens competitivas em relação à concorrência. Invista em alguns elementos básicos:

  • um site responsivo;
  • a implementação de um blog para escrever artigos que consigam sanar as dores/problemas dos potenciais clientes e ofereça materiais ricos de forma gratuita;
  • a centralização de materiais para cada segmento ou área de atuação, com respectivas formas de contato;
  • a inserção de depoimentos de empresas ou pessoas que possam agregar valor ao seu nome ou à sua marca.

Esse conjunto de iniciativas, por exemplo, trará relevância ao seu escritório e irá gerar mais segurança para os usuários que chegarem até você. Assim, eles terão mais chances de se converter sem cliente reais, de fato.

marketing jurídico

3. Investimento

Invista em estratégias de SEO. Essa sigla, que significa Search Engine Optimization, é o processo que leva os principais conteúdos aparecerem em destaque para o usuário nos motores de busca, como Google , Yahoo e Bing, por exemplo.

4. Dispositivos móveis

Faça com que seu conteúdo seja compatível com dispositivos móveis. O número de pesquisas feitas a partir de  aparelhos celulares já ultrapassou o número de pesquisas feitas nas demais plataformas. Além disso, o Google também já realiza experimentos com isso, o que significa que seus algoritmos usarão, principalmente, a versão móvel do conteúdo de um site para classificar as páginas dele em seu buscado.

Assim, se você mantiver o design voltado para desktop – com perfil mais hostil a dispositivos móveis -, a experiência do usuário e os rankings poderão ser prejudicados. 

Marketing jurídico: capacitação de clientes

A partir das ações listadas acima, provavelmente seu escritório começará a receber leads qualificados (potenciais clientes realmente interessados em contratar os seus serviços). Nesse momento, portanto, seu escritório deve estar preparado com algum tipo de automação de marketing digital, a fim de sanar todas as dúvidas e formas de contato exigidas por esse potencial cliente.

Isso porque tais ferramentas levarão a um melhor aproveitamento do usuário,  com a finalidade de conseguir a fidelização dele por meio de estratégias online.

Vamos enumerar, então, duas das principais ferramentas de marketing digital que podem ser úteis nesse processo.

1. Site e plataformas de conteúdo para escritórios de advocacia

O seu escritório precisa ter um site atualizado com conteúdos jurídicos e demais informações pertinentes ao interesse do potencial cliente. Isso transmite autoridade e fará com que ele sintam mais segurança no seu trabalho.

No entanto, é importante estar atento a algumas questões no momento da construção do site  como:

  • ter um site responsivo (que se adequa em qualquer tela), fazendo com que a interatividade UX seja melhor aproveitada pelos CTAs (Call to Action);
  • ter um blog dinâmico com informações sobre os segmentos que seu escritório deseja atingir;
  • ter boas estruturas de landing pages para cada segmento ou área de atuação que seu escritório possa atender. Isso facilitará as conversões de SEO e ADS, fazendo com que seu CPC seja menor.

Por fim, certifique-se de que todos os formulários de contato estejam em perfeito funcionamento. Além disso, eles também deve estar configurados com as plataformas do Google, como Google Analytics e Search Console.

2. Redes sociais para escritórios de advocacia

Não há mais dúvidas de que todos estão cada vez mais imersos nas redes sociais. Partindo desse pressuposto, é importante saber em qual delas seu potencial cliente está mais presente e, a partir daí, programar ações pontuais. Afinal, esses posts precisam ter um propósito: postar simplesmente por postar pode ter o efeito reverso.

Tenha em mente que as redes sociais são formas de imput dentro de uma estratégia maior de marketing. Então, crie um cronograma de postagens para que tenham uma ordem lógica. Isso faz com que o seu público saiba quando haverá novos posts.

No entanto, se você ainda estiver no começo de suas estratégias de marketing jurídico digital, pode ser interessante investir no Facebook e no Instagram para melhorar o engajamento momentâneo. E depois, com o tempo, ir alinhando tais ações para as redes onde o seu público se mostrar mais efetivo.

Como se vê, curadoria de conteúdo é fundamental. Uma vez que a quantidade de posts por semana forem determinados, escolha uma base de curadoria que tenha a ver com as dores de sua persona. Isso ajudará ainda mais no engajamento orgânico de suas postagens.

Quer ficar por dentro das novidades sobre marketing jurídico? Faça abaixo seu cadastro e receba materiais do SAJ ADV em seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *