Marketing Jurídico – 4 estratégias que você precisa conhecer

Em tempos de crise, saber usar todo o potencial de captação pode ser o que separa o advogado do sucesso ou fracasso. Confira essas dicas de marketing jurídico e saia na frente.

Todo advogado sabe que promover seus serviços não é uma tarefa fácil. A OAB impõe algumas restrições ao marketing jurídico, a fim de preservar a sobriedade da atividade, e isso traz algumas dificuldades ao advogado, especialmente o recém-formado, que precisa conquistar novos clientes e fazer seu networking.

Felizmente, a internet modernizou diversas atividades profissionais, incluindo o Direito. Com as novas ferramentas disponíveis hoje em dia, o advogado recém-formado pode realizar seu networking com mais facilidade, entrar em contato e conversar com clientes em potencial e promover seus serviços jurídicos sem ferir o Código de Ética da OAB.

Pensando nisso, decidimos apresentar algumas técnicas de marketing jurídico que você talvez não conheça, mas deve dominar se quiser utilizar o potencial da internet em sua carreira.

1. Publique artigos jurídicos

Quando as pessoas tem dúvidas sobre assuntos diversos, a quê elas recorrem? Se você respondeu “internet”, acertou. Para saber a escalação de seu time de futebol para a próxima partida, os horários do cinema ou descobrir o motivo daquela súbita dor de cabeça, muitas pessoas costumam recorrer a ferramentas como o Google ou o Bing para responder seus questionamentos. O mesmo vale para as dúvidas jurídicas. Diante de um problema como divórcio, pensão alimentícia, inventário, cartão de crédito, entre outros, as pessoas costumam recorrer primeiro à internet para saber mais sobre a situação que estão vivendo.

Sendo assim, a internet é um ótimo espaço para você publicar conteúdo útil, que realmente atraia a atenção das pessoas – que, claro, são clientes em potencial. Publicando artigos com uma frequência regular, com o tempo, você se tornará uma referência no tema em questão. Isso pode lhe ajudar não apenas a fidelizar clientes antigos como também a conquistar novos. Saiba mais sobre outros benefícios que a publicação de artigos pode trazer.

Mas onde publicá-los? Criar e manter um blog com um bom layout e ótima navegabilidade pode ser trabalhoso, especialmente para quem não entende de programação. Felizmente, hoje você encontra com facilidade ferramentas como o Dubbio, desenhadas especificamente para que o profissional jurídico possa publicar seus artigos e oferecer seus serviços aos cidadãos.



2. Crie sua fanpage no Facebook

Agora que você já tem seus artigos escritos e publicados, é hora de divulgá-los!

Sendo a rede social mais acessada do Brasil, o Facebook pode ser um ótimo lugar para começar. Aqui, é importante criar uma página específica para seu escritório, por exemplo, e publicar seus artigos nela. Por mais amigos que seu perfil pessoal tenha, seus artigos irão atingir um círculo de relacionamento mais restrito e a ideia é chegar a  novos contatos em potencial.

Além disso, os posts de uma fanpage podem ser impulsionados com facilidade para atingir novas pessoas. O Facebook oferece diversas opções de segmentação de seus usuários (por idade, sexo, região, páginas que curte, entre outras), e, ainda que pareça complexa, sua ferramenta de anúncios é intuitiva e simples de usar. Impulsionando cada post com cerca de R$ 40, você pode fazer seus artigos atingirem milhares de pessoas com o perfil que desejar.

marketing jurídico

3. Não se esqueça de outras redes sociais

Apesar de o Facebook ser a rede social mais famosa, isso não significa que você não possa encontrar novos contatos em outros espaços!

O LinkedIn, por exemplo, é uma rede social focada no mundo profissional muito utilizada por pessoas de áreas diferentes para realizar seu networking. Uma rápida busca mostra que existem muitos grupos dedicados ao Direito, por exemplo. Neles, você poderá conhecer advogados de todo o Brasil, trocar experiências e, claro, conquistar seu networking no mundo jurídico. Quem sabe um dono de escritório não se impressiona com um artigo que você escreveu?

Outra boa ideia é investir na produção de vídeos. Pode parecer estranho, no entanto, o Brasil é o sexto maior consumidor de vídeos online do mundo, segundo dados da Comscore. Considerando isso, uma ideia interessante seria transmitir seus conhecimentos através de videoaulas, por exemplo, com dicas jurídicas ou de cidadania, e depois publicá-los no YouTube.

4. Atue como advogado correspondente

A advocacia correspondente, ou de apoio, é uma modalidade na qual você não trabalha para clientes, mas para outros advogados.

Muitas vezes, os escritórios de advocacia precisam realizar serviços em comarcas longes da sua própria. Para isso, em vez de enviarem seus próprios advogados, decidem contratar um profissional local para aquela diligência, que pode variar de uma simples distribuição de carta precatória até uma audiência.

A advocacia correspondente é uma interessante opção para os jovens advogados. Em primeiro lugar, eles terão a chance de mostrar seus serviços jurídicos a profissionais de outras cidades, até mesmo de outros estados, contribuindo para o crescimento de seu networking. Além disso, atuando como correspondente, você também poderá ter suas primeiras experiências práticas e um ingresso mais qualificado no mercado. Tudo isso e muito mais.

Se você deseja oferecer seus serviços como correspondente, pode começar se cadastrando numa plataforma especializada, como o Juris Correspondente. Basta preencher seu perfil profissional, escolher as cidades em que você pretende atuar e pronto! Aguarde um buscador com uma diligência em tais localidades entrar em contato com você.

Gostou das dicas de marketing jurídico? Quer acrescentar alguma outra que não mencionamos? Deixe seu comentário!

Quer ficar por dentro de todas as novidades sobre Marketing Jurídico? Faça abaixo seu cadastro e receba os materiais exclusivos do SAJ ADV diretamente em seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *