Motivação na advocacia: como iniciar esse novo ciclo de 2019

Motivação na advocacia: como iniciar esse novo ciclo de 2019

Tempo de leitura: 8 minutos

Como encontrar motivação na advocacia em 2019

Meus colegas advogados e advogadas, o ano de 2019 já rompeu no calendário. E oportunizou, assim, a todos nós um novo ciclo de acontecimentos e experiências. Contudo, trouxe também alguns questionamentos, sobretudo acerca da carreira na advocacia.

Como iniciar nossos planos e sonhos? Qual a mentalidade que precisamos ter para que esse ano seja realmente novo? Como nos motivar para prosseguir diante das incertezas da nossa profissão, dos fatores internos e externos que nos desafiam rotineiramente?

Vamos falar, então, sobre um ingrediente muito importante para todos nós, sobretudo nesse período do ano: motivação.

Motivação na advocacia: motivo e ação

Motivação é formada por dois elementos principais: motivo e ação. Compreender a origem e o sentido mais profundo das palavras nos ajuda, assim, a conduzir melhor nossas ações. Todos nós precisamos de um motivo para viver, trabalhar, planejar, divertir-se, etc.



A partir desse motivo, então, partimos para a ação. Desse modo, uma ação motivada é aquela que irá conduzi-lo ao seu objetivo final, independentemente do que seja.

É bem verdade que vamos vivendo sem nos perguntar muito sobre o motivo de vida. Ou mesmo o motivo de quaisquer das nossa ações, disso ou daquilo. No entanto, quando se trata de estabelecer objetivos, realizar sonhos, é mister encontrar formas de alcançar nossos resultados e cumprir nossa listinha de promessas.

A motivação, portanto, realmente calcada num motivo claro, certo e possível, somada a uma ação efetiva, planejada e mensurada, nos levará a qualquer lugar desejado.

Lidando com as frustrações da carreira

A questão é que não temos o bom hábito de pensar no motivo das coisas, na razão de ser, nos porquês que antecedem nossas ações. Consequentemente, estas acabam aleatórias, soltas, desordenadas. E não nos levam a lugar algum, a não ser a um sentimento de frustração.

Isto é o que acontece com a nossa lista de realizações. “Frustração”, então, é o que sentimos, comumente, lá para o terceiro ou quarto mês de planejamento, porque nos damos conta de que não alcançamos os resultados programados.

De igual modo, quando alcançamos alguns,também não nos premiamos por isso. Dessa maneira, nossas ações se perdem nos sentimentos confusos e desordenados que impedem o progresso pessoal e profissional.

Motivação positiva na advocacia

Por isso que estou aqui para falar de motivação, e, principalmente, da necessidade de desenvolver, sobretudo na advocacia, uma motivação positiva. Sim, há motivação positiva e seu oposto, motivação negativa.

Existem pessoas que, de fato, se movimentam por um motivo e realizam uma ação. Contudo, fazem-no para fugir da dor. Ou seja, buscam fugir de algo negativo, do prejuízo. E consequentemente, não preenchem esse movimento de energia e objetivos positivos. E também assim, não são impulsionadas corretamente para seus objetivos.

No livro “Liderança: como superar-se e desafiar os outros a fazer o mesmo”, o especialista em relações interpessoais Dale Carnegie [1] (1888-1955) afirma que precisamos de uma motivação para viver e dar sentido à vida. No aspecto do trabalho, então, é fundamental encontrar uma motivação realmente clara para que, dessa forma, possamos conduzir de forma sábia os nossos desejos e objetivos e obter resultados positivos.

Segundo ele, ainda, a motivação correta é que dá poder às nossas realizações. É dizer: um MOTIVO + uma AÇÃO = PODER de tornar REAL nossas AÇÕES (REALIZAÇÕES).

Propósito no cotidiano dos advogados e advogadas

Motivação, para Dale Carnegie, é o propósito mais profundo que está latente e que deve ser buscado e compreendido em todo e qualquer objetivo.

Um exemplo: um advogado coloca como objetivo em 2019, para seu escritório, atender e assessorar empresas que atuam no atacado no ramo de artigos para festas, ou seja, revendendo seus produtos em grande quantidade àquelas empresas que atuam no varejo, comércio mais individualizado e em menor escala. O objetivo está claro, concordam? Mas é preciso saber o motivo que leva o advogado ou a advogada a ter esse objetivo. É preciso averiguar qual o propósito de atender esse nicho de cliente, o motivo maior.

Fortalecer esse motivo e enraizá-lo no cotidiano desse profissional deve se tornar um hábito a fim de que esse objetivo seja alcançado a partir de ações coordenadas. Depois de descobrir o MOTIVO, analisar se está dentro da missão e da visão de serviços que ele quer ofertar, é preciso estudar a AÇÃO que o(a) levará a chegar ao objetivo. Se esses dois momentos do objetivo não estiverem perfeitamente definidos e visualizados, o profissional poderá se sentir desmotivado nas primeiras dificuldades. Ou seja, sem nem mesmo saber qual o motivo e a ação que reforçam o objetivo final desejado.

Motivação interna versus motivação externa

Indo além, no exemplo dado, o profissional da advocacia deve compreender, ainda, que existem motivação interna e motivação externa.

É preciso, então, questionar-se:

  1. quais são os motivos que, internamente, em sua vida como pessoa ou profissional, o levarão a cumprir esse objetivo?
  2. esses motivos estão concatenados com o projeto de advocacia que foi traçado em algum momento?
  3. estão alinhados com outras necessidades desse profissional?
  4. já há clientes do escritório com esse perfil?
  5. esse objetivo é um fim em si mesmo ou um passo para outro ainda maior?

A motivação externa já é diferente. Significa compreender quais fatores da vida, do mercado, da economia, levaram o profissional a querer assessorar, por exemplo, as empresas que atuam no atacado de artigos para festas. É preciso perguntar, desse modo, quais os fatos de vida e de mercado que auxiliam na realização desse objetivo.

Exemplos:

  1. novos impostos serão cobrados desse setor?
  2. alguma decisão ou precedente judicial que afetará esse nicho e a economia?
  3. regras aduaneiras, de fiscalização novas?
  4. mais eventos comemorativos como copa, olimpíadas, etc?

A motivação externa, portanto, justificará o profissional na escolha desse nicho, porque ele sabe exatamente os motivos externos que o levarão à tomada de ações estratégicas para sua realização. Torna-se mais palpável, assim, a consecução de um objetivo quando nos orientamos por motivações internas e externas bem identificadas.

Teoria da motivação

Estudiosos, como Abraham Maslow [2] em sua Teoria da Motivação, afirmam que a busca de um sentido maior nos objetivos é o caminho natural de todos nós. Ou seja, depois de supridas as necessidades básicas ou fisiológicas, seguimos em busca de objetivos que atendam às necessidades mais superiores de autoestima e sentido de realização.

Já em 1961, no livro “The Achieving Society”, David McCleeland [3] aprofundou a teoria da motivação sobre as necessidades humanas e identificou três necessidades motivacionais:

  1. necessidade de realização;
  2. necessidade de afiliação; e
  3. necessidade de poder.

Para ele, a motivação tem uma causa, e esta se resume nas três situações acima. Compreendê-las, então, nos auxilia a dirigir nosso sentido motivacional durante um ciclo. É, assim, a necessidade de realização que gera maior sentido de utilidade nas pessoas. E isto inclusive para a advocacia.

A força do hábito na realização dos sonhos

Dale Carnegie [4] orienta ainda que a motivação é um movimento que envolve o corpo, o coração e a mente. Ou seja, todo o nosso sistema sensorial deve estar revestido do sentimento de motivação. Isso naturalmente acontece. Tornamos isso, então, um hábito, reforçando frequentemente nossos motivos, propósitos e ações. E então, naturalmente chegaremos aos nossos objetivos pessoais e profissionais traçados para este ano de 2019.

Por fim, colega advogado ou advogada, nossos planos e nossos sonhos devem serem precedidos de MOTIVOS e AÇÕES bem compreendidos e estabelecidos , para que nossas AÇÕES se tornem cada vez mais REAIS (REALIZAÇÕES). Assim, saberemos enfrentar as armadilhas do desânimo, das dificuldades e atropelos naturais do caminho, tanto internos quanto externos, e olharemos com convicção para nossos objetivos e sonhos, na certeza de que temos as ferramentas e o conhecimento necessários para prosseguir, viver e experimentar todo esse movimento de novo ciclo de oportunidades, assim como os desafios que vêm com um novo ano!

Aproveitem e não se deixem levar pela vida! Conduzam-na com saberia e propósito que tudo virá no tempo certo! Contem comigo nos processos de direcionamento e mentoria no coaching para a ADVOCACIA!

[1] CARNEGIE, Dale. Liderança: como superar-se e desafiar os outros a fazer o mesmo. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2012. p. 35.
[2] MASLOW, Abraham. Motivation and Personality. New York: Harper & Row, 1954.
[3] MCCLEELAND, David. The Achieving Society. New Jersey: The Macmillan Company, 1961.
[4] CARNEGIE, Dale. Liderança: como superar-se e desafiar os outros a fazer o mesmo. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2012. p. 37.

Quer ficar por dentro das novidades sobre a Carreira Jurídica? Faça abaixo seu cadastro e receba os materiais exclusivos do SAJ ADV em seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *