Profissão advogado: autônomo, empresa ou escritório?

Tempo de leitura: 5 minutos

Você escolheu a profissão advogado, concluiu a graduação em Direito, passou no Exame de Ordem da OAB, mas ainda não sabe como irá exercer a sua profissão? Existem três caminhos normalmente buscados por quem quer seguir a carreira advocatícia: ser um profissional autônomo, abrir um escritório próprio ou trabalhar em uma grande empresa. Confira abaixo as vantagens e desvantagens de cada um e veja qual trajetória combina mais com você.

Profissão advogado: qual caminho seguir?

  • Carreira Autônoma

O advogado autônomo, por não ter vínculo empregatício com empresa ou escritório, precisará desenvolver habilidades além das jurídicas. Saber se comunicar é essencial, pois quem trabalha por conta própria deve ter uma boa rede de relacionamentos para conquistar boas indicações de clientes, ter para quem pedir conselhos e opiniões, e poder delegar serviços quando ficar doente ou precisar viajar, assumindo também responsabilidades de seus advogados parceiros quando eles precisarem.

Ao seguir na profissão advogado como autônomo, também são necessários conhecimentos de gestão financeira e de tarefas, afinal, o profissional  será o próprio chefe e o único responsável por suas demandas. A organização pessoal é ainda mais importante para quem trabalha sozinho. Como já citamos aqui no blog, um software jurídico como o SAJ ADV pode ser um grande aliado do advogado autônomo para controlar atividades e prazos processuais e guardar os dados dos clientes.

  • Escritório jurídico

Trabalhar em escritórios jurídicos de outros advogados é uma das opções mais comuns. Nos escritórios, exercer a profissão advogado é focar nas atividades mais tradicionais do Direito, atuando na representação de clientes. Esses profissionais são responsáveis pela condução de processos judiciais e administrativos, consultas sobre a legislação e auxílio aos clientes em tomadas de decisões. Um diferencial é ser especialista em um ramo do Direito, o que consolida o advogado de escritório como referência no mercado e transmite confiança e credibilidade.

E não basta ter uma especialização — é necessário a manter-se informado,  com leituras diárias e cursos em sua área de exercício. Capacidade de resolução de problemas, leitura crítica, escrita e fluência em outros idiomas são habilidades que também devem ser desenvolvidas para uma carreira bem-sucedida em escritórios jurídicos.



  • Escritório próprio

Muitas pessoas que escolhem a profissão advogado almejam abrir seu escritório jurídico. A ideia de ser o próprio chefe e ter a possibilidade de colocar todos os seus projetos em prática é fascinante, mas nem sempre os conhecimentos teóricos adquiridos na faculdade são o suficiente para abrir e manter um negócio. Quando você se torna o dono de um escritório, deixa de ter apenas a atividade advocatícia para se preocupar. É preciso saber gerenciar a questão financeira, aprender a prospectar e a reter clientes, estar em contato com as pessoas que contrataram o seu serviço, administrar a equipe, entre muitas outras funções.

É claro que é possível delegar boa parte das atividades, mas sendo você o responsável, será necessário realizar o acompanhamento de todas elas para garantir o funcionamento do escritório jurídico. Será que você está preparado para abrir o próprio escritório? Teste seus conhecimentos neste questionário, que avalia o que você sabe sobre a importância da localização do escritório, a definição das áreas de atuação, marketing jurídico, entre outros quesitos.

profissão advogado

  • Departamento jurídico de uma grande empresa

Nos últimos anos, o departamento jurídico tem conquistado maior destaque nas grandes companhias, deixando de ser isolado da área de negócios e participando das decisões estratégicas. Algumas atribuições de advogados de departamentos jurídicos são requisição de serviços, gestão de contratos, dados societários, controle de assinaturas, controle de processos judiciais e administrativos, entre outros.

Para seguir a profissão advogado em uma grande empresa, normalmente é necessário passar por programas de trainee ou de estágio — se você é estudante ou recém-formado — ou ser aprovado para uma vaga  pela sua experiência profissional.

Quando você já é formado e pretende conquistar seu espaço em uma grande empresa o ideal é ser especializado em uma área específica, que vai depender do que a companhia precisa no momento da contratação. Os ramos mais comuns são Contratos, Comercial, Administrativo, Tributário e Trabalho. Grandes empresas também costumam exigir o domínio de uma segunda língua, uma vez que o advogado pode ser enviado para a sede ou outras filiais em diferentes países.

Outro ponto essencial é que esse profissional, mesmo que trabalhe no departamento jurídico, compreenda todas as atividades da empresa e tenha conhecimento em áreas como marketing, gestão de pessoas e finanças, para dar as respostas jurídicas mais eficazes à companhia que representa.

Você se identificou com algum dos caminhos detalhados nesse post para seguir a profissão advogado? Boa sorte na trajetória e não deixe de acompanhar os textos do Blog do SAJ ADV para aprimorar seus conhecimentos na área jurídica.

Quer ficar por dentro de todas as novidades sobre a profissão advogado? Faça seu cadastro e receba nossos materiais exclusivos diretamente em seu email.

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *