Ramos do Direito – 7 áreas em forte ascensão no Brasil

Tempo de leitura: 6 minutos

São muitos os ramos do Direito em que um advogado pode decidir atuar e especializar-se ao longo de sua carreira. Alguns deles, porém, estão em evidência pelo grande volume de demanda que têm atraído. O portal da revista Exame trouxe no final do ano passado as 42 profissões mais promissoras para 2015. Dentre elas, quatro são áreas da advocacia.

ebook produtividade na advocacia

Confira abaixo os quatro ramos do Direito apontados como promissores pela Revista Exame:

1 – Advogado trabalhista

Ao escolher a área trabalhista entre os ramos do Direito, o advogado irá representar pessoas ou empresas nas disputas entre empregado e empregador. Entre suas atribuições está realizar audiências, elaborar peças processuais e prestar consultoria jurídica. Neste ano, vivenciamos um exemplo de alta na procura por especialistas em Direito Trabalhista, com o aumento do número de demissões da indústria por causa da retração econômica.

2 – Advogado especializado em recuperação judicial e de crédito

Normalmente quem atua nesse ramo do Direito tem amplo conhecimento da Lei de Recuperação Judicial. Um diferencial é ter experiência em processo civil com foco em contencioso bancário. O advogado especializado em recuperação judicial e de crédito vem sendo cada vez mais procurado por empresas com dificuldades financeiras, em decorrência do cenário econômico desfavorável. Esse profissional pode ser responsável por litígios que envolvam empresas em fase de recuperação    judicial ou atuar em favor dos bancos credores, por exemplo.

banner software jurídico

3 – Advogado especializado em compliance e ética

Com os recentes escândalos de corrupção veiculados diariamente na mídia, as empresas têm percebido a necessidade de adequação aos marcos legais. Em entrevista à Exame, o consultor Fábio Salomon destaca que com a entrada em vigor da Lei Anticorrupção, as instituições passaram a prestar mais atenção em questões como ética corporativa, auditoria interna e código de conduta. Com isso, a especialização em compliance e ética está entre os principais ramos do Direito. Quem opta por essa área irá trazer mais transparência às transações e aos processos da companhia, de forma a garantir que tudo esteja dentro da legalidade.

4 – Advogado tributarista

O Brasil tem uma complexa estrutura tributária e isso contribui para que o Direito Tributário seja um dos ramos do Direito que mais cresce no país. O advogado tributarista é responsável por garantir que as normas referentes à arrecadação de impostos e obrigações tributárias sejam cumpridas. É importante que esse profissional tenha pós-graduação ou cursos de extensão na área contábil para constante atualização a respeito das leis e doutrinas.

5 – Direito do Entretenimento

A indústria do entretenimento sempre foi forte, lucrativa e polêmica no Brasil. Porém com a popularização da internet e das suas facilidades em criação de conteúdo, surgiram novas demandas para advogados desse ramo do Direito. Canais no Youtube, blogueiros que mais parecem estrelas de cinema, Instagrams com mais de milhão de seguidores. Todo esse novo universo começa a ganhar aspecto mais profissional e o advogado deve ser um grande parceiro nesse amadurecimento de mercado.

Essa maior participação de advogados nesse mercado pode se dar tanto no contencioso quanto no consultivo, o que abre ainda mais o leque de oportunidades. Problemas com direito autoral, direitos de imagem, calunia e difamação, entre outros serão os casos mais comuns nessa prática jurídica. Por isso é sempre importante lembrar no quanto os ramos do Direito conversam entre si e exigem conhecimentos ada vez mais plurais dos advogados.

6 – Direito Desportivo

O Brasil é o país de futebol. É uma frase conhecida em todo o mundo e reflete bem nossa relação não só com o mais popular esporte do país, mas também da nossa relação com as mais diversas modalidades. Esses últimos anos têm sido bem especiais para o Brasil nesse setor. Com a realização da Copa do Mundo e das Olimpíadas, o país enfim ganhou projeção internacional no quesito realização de grandes eventos esportivos.

Esse cenário mostrou oportunidades aos advogados especializados em questões que envolvam atletas, clubes, patrocínios e seus respectivos contratos. O suporte em todas as partes envolvidas faz desse ramo do Direito essencial para o bom andamento legal dos acordos . Os principais processos envolvem questões trabalhistas, administrativas e fiscais.

7 – Mediação e Arbitragem

Esse ramo do Direito foi beneficiado pelas recentes mudanças no posicionamento do Judiciário Nacional. Com a sansão da Lei nº 13.140/2015  que trata “(…) sobre a mediação entre particulares como meio de solução de controvérsias e sobre a autocomposição de conflitos no âmbito da administração pública;”, ficou claro a necessidade de se especializar em questões que não envolvam necessariamente processos abertos.

Dessa forma o burocrático sistema Judiciário começa a respirar, se beneficiando da diminuição do número de processos judiciais. Enquanto esses métodos alternativos possui um tempo médio de resolução de 2 a 3 meses, no Judiciário pode se estender por anos (ou até décadas em casos mais complexos). Por essa nova dinâmica, é natural que o advogado construa novas habilidades, novas abordagens em seus casos. A postura por hora mais dura e combativa, deve ser substituída por algo mais colaborativa, visando o acordo e os benefícios mútuos, resolvendo de vez as questões envolvidas.

Apesar da presença de advogados em mediações ser facultativa, é de extrema importância sua presença. São eles os profissionais preparados para conflitos e indagações, além de terem o maior conhecimento de Leis, direito e obrigações. Faz-se importante para assegurar um acordo mais justo e legal, de modo que as partes saiam realizadas com o acordo e abandonando a ideia de um processo litigioso. Ainda segundo a Lei 13.140 (paragrafo 10), se uma das partes possuir advogado, o mediador deve suspender o procedimento, orientando a parte contrária a procurar orientação jurídica, se assim for seu desejo.

Seja qual for o ramo do Direito escolhido, busquem sempre conhecimento!

Para ter destaque em qualquer uma das carreiras citadas acima, é necessário se especializar. No blog do SAJ ADV já listamos a importância dos cursos de pós-graduação e algumas dicas na hora de escolhê-los. Você tem outras sugestões para os advogados que pretendem seguir algum dos ramos do Direito em crescimento no Brasil? Compartilhe conosco nos comentários!

Quer ficar por dentro de todas as novidades sobre os ramos do direito? Faça seu cadastro no SAJ ADV – Software Jurídico e receba nossos materiais exclusivos diretamente em seu email.

1 comentário


  1. o DIREITO EDUCACIONAL, deverá deixar de ser apêndice das outras áreas do Direito,quem vive o dia a dia nas IES, sabe que uma ação Educacional, passa por outras áreas : TRIBUNAIS, PROCON, DELEGACIAS etc., a demora de uma ação se arrasta, por muito tempo, muitas vezes sem solução. Mesmo os Advogados que trabalham desconhecem o rumo que deverão seguir na área educacional. ( MEC ? ).
    A solução será o DIREITO EDUCACIONAL ter fórum próprio ( Juiz etc.. etc… ).

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *