Ramos do Direito – 4 áreas promissoras para novos escritórios de nicho

Tempo de leitura: 6 minutos

(Last Updated On: 2 de janeiro de 2018)

Focar em áreas de atuação é estratégico mesmo para um escritório de advocacia iniciante. Ser especialista em determinados ramos do Direito transmite confiança e credibilidade, ajuda a captar clientes em busca de serviços jurídicos e reforça o papel do profissional como referência no mercado. É claro que pode existir certa flexibilidade para um escritório iniciante conseguir pagar as contas, mas o importante é sempre manter como objetivo principal atrair demandas nos ramos do Direito escolhidos pela banca.

Lembre-se que determinados ramos do Direito também se beneficiam da localização do escritório. Por exemplo, o Direito Ambiental é mais procurado em cidades com grande volume de empreendimentos imobiliários, que normalmente envolvem questões ambientais. Já o Direito Tributário costuma ter destaque em regiões onde existe concentração de empresas. Além disso, a localização é um fator relevante para um novo escritório de advocacia tornar-se conhecido. O ideal é que ele esteja inserido em um local de fácil acesso e visível ao público que quer alcançar. Ao escolher o lugar, é preciso levar em conta a visibilidade, acessibilidade, e aspectos como o custo e a logística.

Se você ainda não sabe em quais ramos do Direito o seu escritório será especializado, é válido analisar as áreas que estão em ascensão no mercado. Algumas estão surgindo das novas necessidades de mercado  e outras das mudanças recentes em velhos setores da sociedade.

4 promissores ramos do Direito:

Segundo uma análise da OAB-SP, os ramos do Direito mais promissores para a advocacia no país vão ao encontro de temas como a sustentabilidade e as novas tecnologias. Confira 3 dos principais:

1 – Direito Ambiental

A população mundial tem se mobilizado por alternativas sustentáveis e isso impacta na busca pelo Direito Ambiental. Esse ramo do Direito busca a harmonia nas interações entre as pessoas e o meio ambiente, envolvendo os campos de Ciências Sociais, Antropologia, Biologia, Geologia, Engenharia e Direito Internacional. Escolher essa área implica em também envolver-se com outros ramos do Direito como o Constitucional, Administrativo, Civil, Processual e Penal.



A Política Nacional do Meio Ambiente estabelece definições claras para o meio ambiente, qualifica as ações dos agentes modificadores e provê mecanismos para assegurar a proteção ambiental. O Brasil também conta com o Sistema Nacional do Meio Ambiente (Sisnama), responsável pela proteção e melhoria da qualidade ambiental.

2 – Direito da Infraestrutura

Muitos escritórios apostam que a necessidade de melhorias na infraestrutura fará com que essa área, que é considerada um dos principais gargalos para o desenvolvimento do país, seja cada vez mais demandada na advocacia. Os cursos para quem quer se aprofundar no assunto envolvem conhecimentos sobre investimentos públicos e privados, licitações e questões relativas à desigualdade social.

Com os recentes problemas enfrentados pelo Brasil com o ramo da construção civil, um advogado especializado em Direito da Infraestrutura pode trazer mais estabilidade ao setor e segurança ás empresas que querem seguir no nicho, sem perder sua relação com a legalidade. As relações entre o Estados e as empresas que prestam serviço ao setor podem ter nesses advogados a forma de recuperar a confiança no setor e a retomada do crescimento nesse importante setor da economia.

ramos do Direito

3 – Direito Digital

O Direito Digital envolve o conjunto de normas, aplicações, conhecimentos e relações jurídicas relacionadas ao universo digital. Segundo Patricia Peck, advogada especialista nessa área, o Direito Digital consiste na evolução do próprio Direito, abrangendo todos os princípios fundamentais e institutos que estão vigentes e são aplicados até hoje, assim como introduzindo novos institutos e elementos para o pensamento jurídico, em todas as suas áreas – Direito Civil, Direito Autoral, Direito Comercial, Direito Contratual, Direito Econômico, Direito Financeiro, Direito Tributário, Direito Penal, Direito Internacional, etc.

O advogado que escolhe esse segmento normalmente tem três focos de atuação: trabalho preventivo, atuação consultiva e ação judicial. As questões de Direito Digital costumam estar relacionadas com outros ramos do Direito. Em Direito Civil, por exemplo, é comum ações de danos morais por difamação na internet. Já no Direito Tributário existe a questão dos impostos sobre transações online.

Direito Digital é um dos ramos do Direito mais desafiadores, uma vez que está sujeito a velocidade dos avanços tecnológicos e deve andar sempre de acordo com as determinações do Código de Ética da OAB.

4 – Direito Internacional

Subdividido em Público e Privado, o Direito Internacional viu seu surgimento e crescimento a medida em que o a globalização foi ganhando forma. Com a aproximação facilitada pela melhorias das tecnologias de transporte e o advento da internet, foi natural que as mudanças também atingissem as relações pessoais e principalmente econômicas. E para garantir a legalidade dessas novas transações, o advogado se faz sempre presente.

Direito Internacional Público

Regula as relações entre as entidades públicas (nações, estados, municípios), trazendo equilíbrio e legalidade às transações realizadas entre esses entes. Também é objeto do Direito Internacional Público ações aplicadas por instituições internacionais (ONU, por exemplo) cujos lados nem sempre são apenas agentes públicos. Ações de nichos de mercado podem surgir nesse meio, principalmente nas esferas do comércio, na figura da OMC (Organização Mundial do Comércio).

Direito Internacional Privado

Busca entendimento entre Estado e pessoas físicas. Por se tratar muitas vezes de diferentes doutrinas e jurisprudências, cabem aos advogados trazer o entendimento que melhor expressa a referida ação, mediando conflitos e buscando entender leis estrangeiras e suas eventuais aplicabilidades em solo nacional. Um exemplo prático são as cada vez mais comuns adoções de crianças estrangeiras por Brasileiros, onde as leis de diferentes países devem ser respeitadas, e quando conflitantes, resolvidas da maneira mais justa possível.

Ramos do Direito e Software Jurídico

Você atua ou tem interesse em algum desses ramos do Direito em ascensão? Como vê o mercado atualmente? Compartilhe sua experiência conosco nos comentários e vamos construir juntos a revolução na gestão para advogados. E lembre-se: seja qual for a área do Direito que você segue, sempre precisará de um software jurídico de qualidade, que será seu parceiro no crescimento. Por isso sempre ouvimos nossos cliente e trazemos o que há de melhor em tecnologia jurídica. 

Quer ficar por dentro de todas as novidades sobre ramos do Direito? Faça seu cadastro no SAJ ADV – Software Jurídico e receba nossos materiais exclusivos diretamente em seu email.

>

3 Comentários


  1. Este profissional esta sempre em alta, segundo Paulo Moraes, da Talenses. A complexa estrutura tributaria do Brasil faz com esta seja uma das areas mais promissoras do direito, principalmente quando a estrategia tributaria e fator determinante para o desempenho de uma empresa.

    Responder

  2. Boa tarde.

    Gostaria de saber quais as novas áreas do direito com perspectiva de crescimento no ano de 2016/2017, onde realmente podemos investir???

    Responder

    1. Olá Francisco, boa tarde!

      Infelizmente ainda não temos dados atualizados sobre essa questão. Quando sair, atualizaremos nossos conteúdos.

      Obrigado pelo contato.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *