Série de advogados: 13 tramas em que a ficção se espelha na advocacia

Tempo de leitura: 15 minutos

No dia a dia da advocacia há, por aí, uma aprendiz determinada no melhor estilo Alicia Florrick. Ou, então, um advogado brilhante, mas marcado pela malandragem, como um típico Mike Ross. Ou, ainda, aquela profissional poderosa e ousada que chama a atenção tal qual Annalise Keating.

Esses nomes lhe são familiares? Se qualquer um desses profissionais saísse da telinha nesse momento, não seria exagero afirmar que poderiam ocupar um escritório de advocacia para serem exatamente quem são. Afinal, perfis desse tipo estão tranquilamente espalhados por aí.

A ficção, como se diz, caminha lado a lado com a realidade. Quem nunca ouviu essa máxima? Uma série de advogados, por exemplo, é uma boa amostra disso. Como não se identificar no enredo e fazer uma relação com a própria rotina e a carreira?

Talvez seja por isso que as séries jurídicas costumam fazer tanto sucesso. De olho nisso, a indústria audiovisual norte-americana vem produzindo cada vez mais conteúdo voltado para essa temática, por exemplo. E, como é possível perceber, eles estão cada vez mais. E mais próximos da realidade.

Este post, portanto, traz uma lista de 13 séries de advogados para você se identificar. Nem todas estão disponíveis no Netflix, mas é sempre interessante ficar de olho para conhecer suas histórias.



série de advogados

Treze tramas para você escolher a melhor série de advogados

1. The good wife

The good wife é uma das séries jurídicas mais premiadas da atualidade. O enredo se passa dentro de um escritório de advocacia de Chicago. Portanto, é ótima para quem quer conhecer um pouco mais sobre a forma como os advogados acompanham as ações judiciais, como formulam suas teses jurídicas e como mantêm o relacionamento com seus clientes.

Basicamente, a história acompanha a rotina da advogada Alicia Florrick (Julianna Margulies) e os desafios que ela enfrenta no retorno à carreira. Após 13 anos afastada da advocacia, ela se vê obrigada a voltar ao trabalho quando o marido, o promotor e candidato ao governo de Chicago, Peter Florrick (Chris Noth), é preso em um escândalo de corrupção e traição.

Você já viu essa novela antes? Um enredo assim, envolvendo escândalos políticos e sexuais, lhe soa familiar? Não é coincidência. Os produtores declararam, mais de uma vez, que o seriado foi parcialmente inspirado em situações semelhantes que vieram a público por meio de figuras norte-americanas famosas, portanto. É o caso, por exemplo, do ex-governador de Nova Iorque Eliot Spitzer, do ex-presidente Bill Clinton e do ex-senador John Edwards.

Além disso, a própria personagem de Alícia foi inspirada justamente nas mulheres desses políticos. Para quem não sabem Hillary Clinton e Elizabeth Edwards, por exemplo, são advogadas por formação.

The good wife recebeu, por exemplo, um Globo de Ouro em 2009 (Julianna Margulies como melhor atriz), quatros Emmys entre 2010 e 2013 (Julianna Margulies, Archie Panjabi, Martha Plimpton e Carrie Preston como melhores atrizes), entre outros prêmio importantes da dramaturgia.

São sete temporadas, no total – as seis primeiras, por exemplo, estão disponíveis no Netflix. O seriado encerrou em 2016, quando a última delas foi ao ar.

2. The good fight

Essa série de advogados é um spin-off de The good wife e começa um ano após o fim da história do seriado original. Por ser uma espécie de continuação, parte do elenco permanece no enredo. É o caso, por exemplo, da poderosa advogada Diane Lockhart (Christine Baranski), que se transforma em protagonista nesse novo seriado.

Além disso, The good fight também mantém vivos os elementos do enredo original. Da mesma forma como sua antecessora, a história se estabelece a partir de um escândalo financeiro que provoca o julgamento moral feito pela mídia e pela sociedade em torno de mulheres que não cometeram crime nenhum.

Com base nisso, a série trabalha muito bem a ideia do recomeçar, por exemplo. Assim, da mesma forma como Alicia Florrick precisou retomar a vida profissional depois de alguns anos priorizando a família, o mesmo acontece com Daiane Lockhart. Agora, a nova protagonista precisa esquecer a aposentadoria e encontrar forças para voltar a investir em sua carreira. Afinal, ela perdeu parte do patrimônio para um esquema de pirâmide financeira que centraliza a história de The good fight.

O seriado já tem duas temporadas finalizadas e a terceira está em produção. Embora ainda não esteja disponível no Netflix, é uma boa ideia ficar de olho nessa história.

3. Suits

A série de advogados mais recomendada dos últimos tempos também mostra a rotina de um escritório de advocacia. Suits, portanto, se passa em Manhattan e mostra como o jovem Mike Ross (Patrick Johannes Adams) se tornou braço direito do melhor advogado empresarial da cidade, Harvey Specter (Gabriel Macht).

À frente de um dos mais renomados escritórios de Nova Iorque, Specter é conhecido por contratar apenas ex-alunos de Harvard para integrar sua equipe, o que ajuda na boa reputação do seu nome. O problema, no entanto, é que Mike, sua nova aquisição, nunca se formou em Direito. Assim, é em torno desse segredo, compartilhado apenas entre Mike e Specter, que a trama se desenrola pelas ruas da cidade mais agitada do mundo.

O seriado está em sua nona e última temporada, ainda em gravação. As oito primeiras, por exemplo, estão todas disponíveis no Netflix.

4. How to get away with murder

Saindo do drama, How to get away with murder transporta as tramas jurídicas a outro patamar, adentrando agora no área do suspense. A história dessa série de advogados se passa em torno da rotina da advogada Annalise Keating (Viola Davis), que dá aulas de Direito Criminal na East Coast Law School, na Filadélfia.

É daí que vem o nome da série. No lugar de trabalhar leis e jurisprudência, Annalise foca suas aulas nas questões extremamente práticas do Direito Penal. Ensina a seus alunos, portanto, como se livrar de um assassinato (tradução livre de How to get away with murder). Assim, ao selecionar cinco de seus melhores estudantes para atuarem como estagiários em seu escritório, Annalise e sua equipe acabam se envolvendo, de fato, em uma trama de morte e homicídio.

Boa parte do grande sucesso alcançado pela série diz respeito à participação de Shonda Rhimes na produção executiva da trama. Shonda é também o nome por trás de outros grandes sucessos como Grey’s Anatomy e de seu spin-off, Private Practice.

Desde a sua estréia, em 2014, o seriado já recebeu mais de uma dezena de prêmios. Nove deles, por exemplo, foram para Viola Davis pela atuação como protagonista Annalise. Ela também se tornou a primeira mulher afro-americana a ganhar um Emmy Award de melhor atriz pelo seriado.

How to get away with murder tem cinco temporadas – a sexta não está confirmada. Quatro delas estão disponíveis no Netflix. A quinta, por exemplo, ainda está sendo gravada.

5. Scandal

Para quem gosta da relação entre Direito, política e mídia, Scandal é uma ótima opção de série de advogados. A criadora da trama é a mesma de How to get away with murder e se inspirou em uma história real para construir o roteiro. Judy Smith, na vida de quem o seriado se baseia, atuou como assessora de imprensa do governo de George Bush.

Scandal conta a história de Olivia Pope (Kerry Washington), consultora do presidente dos Estados Unidos que se dedica a dar um fim nos escândalos da política americana. O enredo começa quando ela deixa a Casa Branca para abrir o seu próprio escritório especializado em gerenciamento de crises. Em outras palavras: para atender casos que precisam ficar longe dos holofotes da mídia, antes que virem um escândalo.

Assim, a advocacia entra na história por meio do grupo de advogados que atuam na empresa de Olivia. Assim, o enredo mostra, por exemplo, como os advogados ajuda a ter influência a política.

Scandal possui sete temporadas, no total, todas disponíveis no Netflix. O seriado parou de ser gravado no início de 2018.

6. For the people

A mais recente série de advogados também tem a assinatura de Shonda Rhimes na produção executiva. For the people, no entanto, não traz uma protagonista feminina forte para conduzir a trama como acontece com suas outras produções, por exemplo – Grey’s Anatomy (com Meredith Grey), How to get away with murder (com Annalise Keating) e Scandal (com Olivia Pope).

Diferente disso, a aposta de For the people, portanto, é no trabalho em equipe. O seriado mostra, por exemplo, a rotina de seis jovens advogados em início de carreira, que lutam, em lados opostos, contra o sistema de injustiças nas cortes de Nova Iorque. De um lado, os defensores públicos investem em causas em favor dos mais necessitados. De outro, os promotores primam pela aplicação rigorosa da lei em todas as demandas.



O seriado estreou em 2018 no canal pago Sony e, por ser recente, ainda não está disponível no Netflix. A segunda temporada, no entanto, já está confirmada.

7. Better call Saul

Diferente das outras produções, Better call Saul é uma coleção de lições do que não deve ser feito na advocacia. Para quem assistiu Breaking Bad, o protagonista Jimmy McGill (Bob Odenkirk), vai parecer familiar. Isso porque Better call Saul é um spin-off desse seriado e mostra a vida e os problemas do advogado Jimmy seis anos antes do seu encontro com Walter White (Bryan Cranston) e de se tornar, portanto, o infame Saul Goodman.

O enredo, portanto, se propõe a contar como foi o início da carreira do advogado Jimmy. A ideia é mostrar como ele, desde então, já mesclava comportamentos éticos e questionáveis quando lidava com demandas jurídicas do escritório de advocacia do seu irmão, onde trabalhava. Além disso, a trama leva o telespectador a entender a caminhada de Jimmy no mercado de trabalho até se deixar levar pelo mundo do crime.

Tal qual o seriado que lhe deu origem, Better call Saul também alcançou muito sucesso. No dia da sua estréia, a série deteve o recorde de maior audiência na história da TV a cabo no Estados Unidos. Além disso, a trama recebeu quatro indicações ao Emmys do Primetime, três ao Writers Guild of America, duas Critics’ Choice Television Awards e uma Screen Actors Guild Award.

O seriado tem quatro temporadas finalizadas, todas disponíveis pelo Netflix. A quinta, no entanto, já foi confirmada.

8. Law & Order

A mais antiga série de advogados ainda no ar é uma aula de Direito Penal para quem gosta desse ramo. Isso porque Law & Order mostra, por exemplo, desde o desenrolar da investigação policial e da produção do inquérito, até o julgamento do caso.

Para que tudo isso seja possível, portanto, circulam pela história todas as partes essenciais para o andamento do processo do início ao fim: policiais, advogados, promotores e juízes. O enredo, então, é claro em mostrar o quanto o comportamento e o relacionamento entre essas partes é fundamental para solucionar um crime.

O seriado original esteve no ar ao longo de 20 anos, entre 1990 e 2010. O fenômeno
Law & Order é tão grande que se desmembrou em várias séries derivadas, gerando uma franquia:

  • Law & Order: Special Victims Unit (desde 1999 no ar);
  • Law & Order: Criminal Intent (2001-2011);
  • Law & Order: Trial by Jury (2005);
  • Law & Order: Los Angeles (2010-2011);
  • Law & Order: True Crime (2017).

9. Lie to me

Lie to me se torna uma interessante série de advogados porque mostra o andamento do processo judicial por meio de um viés psicológico que pode ser fundamental para o ganho da causa.

Assim, o seriado conta a rotina do psicólogo Cal Lightman (Tim Roth), especialista em detectar fraudes e mentiras por meio da linguagem corporal e facial das pessoas que interroga. Com o resultado disso, ele consegue auxiliar a Justiça, a polícia, ou qualquer interessado, no correto julgamento das causas.

O mais curioso é que o Cal Lightman é baseado em uma pessoa real. Paul Ekman, um psicólogo norte-americano, é pioneiro no estudo de emoções e expressões faciais, por exemplo.

Lie to me teve três temporadas e foi encerrado em 2011.

10. Damages

Damages mostra o trabalho de duas advogadas no andamento de grandes casos jurídicos da cidade de Nova Iorque. Patty Hewes (Glenn Close), no entanto, já está consolidada na carreira como promotora de acusação. Já Ellen Parsons (Rose Byrne) é recém formada e contratada pelo escritório de Patty.

Assim, a trama se volta especialmente para o relacionamento mantido entre as duas. Além disso, mostra também como a pupila consegue aprender os altos e baixos com a experiência de sua mentora, por exemplo.

Essa série de advogados tem cinco temporadas e encerrou em 2012. Em 2008, já na estreia, foi recordista de indicações ao Globo de Ouro: melhor série dramática, melhor atriz para Glenn Close e melhor coadjuvante de série para Rose Byrne e Ted Danson.

11. Ally McBeal

De todos os seriados jurídicos aqui mencionadas, Ally McBeal é a mais leve. Isso porque mostra o lado cômico e autêntico dos profissionais que a integram, especialmente a advogada que dá nome à trama.

Essa série de advogados, portanto, gira em torno de um escritório de Boston e mostra a constante preocupação de Ally McBeal em se dar bem na vida pessoal e também profissional.

As cinco temporadas da série foram amplamente premiadas, com Emmy, Globos de Ourto e Screen Actors Guild.

12. Making a murderer

Making a murderer é um documentário em formato de série que conta a história real de Steven Avery, que ficou 18 anos preso por um crime que não cometeu. Em 1985, Steven foi condenado por agressão sexual e tentativa de homicídio, mas conseguiu provar sua inocência (por meio de um exame de DNA) apenas em 2003.

Ele, então, processa o Condado de Manitowoc. No entanto, quando está prestes a ser indenizado, torna-se o principal suspeito de outro crime: o assassinato da fotógrafa Teresa Halbach, morta em 2005.

Em duas temporadas, Making a murderer mostra como transcorreu a investigação do crime, o julgamento e todas as contradições que giram em torno do caso. As duas temporadas estão disponíveis no Netflix.

Essa série de advogados venceu diversos premiações, incluindo quatro Emmy Awards (2016).

13. American Crime Story: o povo contra O.J. Simpson

American crime story é um seriado de duas temporadas que mostra os detalhes e o desenrolar de crimes reais que aconteceram nos Estados Unidos. A primeira delas, no entanto, é extremamente voltada para questões jurídicas, se tornando uma ótima opção de série de advogados.

Intitulada American Crime Story: o povo contra O.J. Simpson, ela mostra todo o andamento do caso que parou o país nos anos 1990: a investigação e o julgamento do ex-jogador de futebol americano O.J. Simpson, acusado de matar sua ex-mulher Nicole Brown e seu amigo Ronald Goldman. Após uma longa sessão, o ex-atleta foi absolvido de todas as acusações.

O julgamento, no entanto, entrou para a história dos Estados Unidos. Estima-se que 20 milhões de pessoas o assistiram ao vivo pela televisão. O anúncio do veredito, por exemplo, teve bateu o recorde de audiência da época, que era, até então, da chegada do homem à Lua e do funeral do presidente John Kennedy.

Quer ficar por dentro das novidades sobre o Direito? Faça abaixo seu cadastro e receba materiais do SAJ ADV em seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *