Site para advogados: 8 limitações da OAB que você não conhece

Em um mundo globalizado, a velocidade das informações e das novidades obriga os profissionais a se estarem atualizados e cada vez mais presentes na internet. Assim, um escritório de advocacia não pode ficar de fora. É imprescindível que eles se façam assíduos no ambiente digital, seja por meio de um site para advogados ou, então, pelas redes sociais.

Como se sabe, no entanto, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) impõe algumas regras que limitam as ações de marketing jurídico. E isso independe se ele for feito de forma digital ou não. Diferente de outras áreas do mercado, o Direito requer atenção especial para traçar estratégias de marketing e, principalmente, colocá-las em prática.

E para evitar que você seja penalizado por usar as estratégias mal planejadas, embora com boas intenções, este post seleciona oito limitações da OAB que costumam passar despercebidas. Com base nelas, você poderá se prevenir e se preparar para que o seu plano de marketing esteja dentro das normas e possa gerar mais tráfego e demanda para o seu escritório.

Além disso, o material também mostra tudo o que é importante para evitar erros e aumentar a demanda por meio de um site para advogados.

Limitação 1: materiais sem cunho informativo no site para advogados

É proibido, por exemplo, produzir e divulgar textos ou e-mails sem cunho informativo e caráter jurídico. Isso se aplica tanto para veículos que tenham relação com o tema, quanto para aqueles que não têm.

Limitação 2: materiais que indiretamente incentivem a mercantilização

Por mais que você produza conteúdos informativos e com muita qualidade, eles não podem, de forma alguma,  conter informações ou argumentos que incentivem a mercantilização de serviços ou produtos em seu corpo. Especialmente se você possui um site para advogados hospedado na rede.



Limitação 3: publicidade casada

Não é permitido realizar publicidade casada ou divulgar contatos explícitos em materiais que fujam do âmbito jurídico. A OAB as encara, por exemplo, como irregulares.

Limitação 4 : uso de artifícios em materiais para chamar a atenção

A produção e a veiculação de de posts para blogs, redes sociais ou site para advogados deve ser realizados sempre com seriedade e profissionalismo. Discrição e sobriedade, diz o Código de Ética da OAB. É proibido, portanto, usar de artifícios para persuadir o cliente. É o caso, por exemplo, dos e-mails comerciais.

site para advogados

Limitação 5: uso de placas de identificação

É proibido utilizar outdoors e painéis de LED luminosos. A única exceção envolve as próprias placas de identificação que são posicionadas nas entradas e portas do próprio escritório com a finalidade clara de identificação. As placas e outdoors espalhados pela cidade, por exemplo, não são permitidas. Mais uma vez, no entanto, é vedada qualquer intenção de comercialização.

Limitação 6: divulgar consultas sem custo ou pro bono

Fazer registros e utilizar imagens de locais forenses ou que não tenham cunho jurídico também são terminantemente proibidos. Além disso, fazer publicidade de consultas jurídicas sem custo ou até mesmo advocacia pro bono também não são permitidas.

Limitação 7: materiais com cores extravagantes e chamativas

Não é permitido utilizar cores extravagantes e chamativas em qualquer material, sejam peças gráficas, panfletos, cartões de visitas, placas de identificação ou no próprio site para advogados. Foque em cores séticas e neutras. Mais uma vez, a OAB recomenda sempre a discrição e a sobriedade. Não esqueça disso.

Limitação 8: publicidade em espaços físicos

É proibido realizar publicidade por meios de canais como rádio, cinema e tv, por exemplo. Além disso, locais físicos ou espaços públicos, como muros, paredes, automóveis ou backbus também entram nessa lista.

Vale a pena, então, investir em um site para advogados?

Essa é uma pergunta que permeia a rotina de muitos profissionais e nem sempre é respondida da maneira correta. Apesar de não poder mercantilizar os seus serviços, manter um site para advogados é uma estratégia de marketing jurídico digital que pode gerar um grande retorno, quando bem aplicado.

Você deve saber como é complicado atrair ou prospectar possíveis clientes e pessoas que realmente têm interesse em seus serviços. E é aí que o marketing jurídico demonstra a sua força.

Portanto, por meio de uma produção de conteúdo de qualidade e estratégias consistentes, você consegue alcançar pessoas que, até então, não faziam ideia da existência do seu escritório. A partir disso, elas passam a enxergar no seu serviço e no seu escritório a solução ideal para um problema.

Nesse sentido, listamos três dicas rápidas que podem ajudar a alcançar os melhores resultados com ajuda do meio digital.

1.Crie um site para advogados que seja informativo

A primeira lição é praticamente um retrato do que acontece muito por aí: um site para advogados não é um espaço para digitalizar o cartão de visitas do escritório. É muito comum, aliás, que isso aconteça: há centenas de websites jurídicos sem atualização nenhuma, sem qualquer tipo de conteúdo, servindo apenas como uma verdadeira propaganda fixa.

Claro que é importante que um site para advogados contenha informações institucionais da banca e da equipe de profissionais. Isso traz credibilidade e faz com que você se torne uma opção para o seu usuário, para o momento em que ele precisar dos serviços que você oferece. No entanto, ele precisa ir além e oferecer algo a mais.

Precisa, por exemplo, ser completo e gerar valor para que os usuários possam conhecê-lo, saber com o que o escritório trabalha e confiar em seus serviços.

2. Produza conteúdos de qualidade para o seu site para advogados

Ter um site sempre atualizado tem o seu valor. Afinal, é isso que ajuda você a manter a proximidade com o seu público e sempre atrair novos interessados. Assim, uma das maneiras mais assertivas de manter essa proximidade é produzindo conteúdos de qualidade.

Por meio desses conteúdos, você consegue alcançar com mais facilidade as posições de destaque em ranqueamento para o seu site para advogados, por meio dos sites de busca. É importante salientar que esse é um forte gatilho para a atração de novos usuários .

No entanto, a produção de conteúdo vai muito além de posicionamento no Google. Ela também pode ser atrelada a:

  • ganhar credibilidade através de conteúdos de qualidade;
  • gerar relevância para seu site pode abrir portas para parcerias.
  • ajudar na permanência dos usuários em seu site;
  • atrair usuários com perfil para potenciais clientes.

3. Esteja presente nas redes sociais

Apesar de parecer um pouco informal para o marketing jurídico, as redes sociais podem ser grandes aliadas em suas estratégias para o meio digital. Por isso, o uso do Facebook e Instagram, por exemplo, é totalmente recomendado.

Assim, por serem redes sociais, a renovação dos conteúdos é instantânea. Portanto, é uma boa maneira de estar sempre divulgando informações para os usuários. E isso pode ser feito de diferentes formas. É o caso, por exemplo, dos(as):

  • produção de textos rápidos;
  • uso de infográficos;
  • vídeos;
  • enquetes;
  • imagens.

Tudo isso ajuda o advogado a criar, por exemplo, um relacionamento com os seus seguidores e fortalecer sua imagem. Além disso, o profissional também consegue ganhar relevância no meio por oferecer conteúdos úteis que ajudam o público de alguma forma.

Quer ficar por dentro de tudo sobre o mercado da advocacia? Faça abaixo seu cadastro e receba os materiais do SAJ ADV em seu email.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *