Como evitar a invasão de dados com ajuda de um software jurídico

A segurança de dados é parte importante dos negócios para qualquer atividade que ofereça serviços aos clientes. Em escritórios de advocacia, que lidam com informações sigilosas e estratégicas, a necessidade de proteger esses dados é ainda mais crucial. Um bom software jurídico é capaz de oferecer essa proteção, minimizando os riscos de ciberataques ou outras surpresas desagradáveis.

Com os arquivos de papel se tornando cada vez mais obsoletos, reforçar a segurança na justiça digital é fundamental. Para se defender da ameaça de invasão de dados, escritórios de advocacia precisam rever suas políticas de segurança. É importante adotar boas práticas quanto ao uso de equipamentos e acesso a informações. Além disso, é necessário que a equipe esteja bem orientada sobre suas responsabilidades na proteção dos dados dos clientes. Investir em tecnologias capazes de minimizar riscos de ataques também é outra medida essencial. Abaixo explicamos como um software jurídico pode ajudar nesse desafio.

Um software jurídico ajuda a proteger seus dados

Em 2015, o site especializado em relacionamentos extraconjugais, o Ashley Madison, foi alvo de hackers que revelaram dados pessoais de 32 milhões de usuários. Bancos também costumam ser alvo de criminosos virtuais, que usam artimanhas como malwares, roubo de identidade e de senhas pessoais para invadir o sistema. Escritórios de advocacia também estão sujeitos a ataques semelhantes, por isso adotar um software jurídico pode ajudar a proteger seus dados.

No início de 2016, alguns dos maiores escritórios de advocacia dos Estados Unidos, como Cravath Swaine & Moore e Weil Gotshal & Manges foram alvo de hackers. O FBI investiga a possibilidade de que os criminosos estavam em busca de dados sigilosos a respeito de aquisições e fusões entre empresas multibilionárias. Adotar um software jurídico é importante para se proteger ou ao menos minimizar os danos de ataques semelhantes. Além de prejuízos financeiros, o vazamento de informações podem prejudicar a reputação de um escritório.

Dados jurídicos interessam aos golpistas pelos mais diversos motivos. Nos Estados Unidos também há registros de hackers sequestrando informações de clientes e exigindo resgate. Outros casos envolvem chantagem, espionagem ou vazamento público de informações, capazes de provocar prejuízos incalculáveis. Para se precaver, os escritórios têm investido em software jurídico e outras tecnologias capazes de reforçar a segurança digital.

Minimize riscos de invasão

As táticas de invasão geralmente envolvem a chamada engenharia social, um tipo de golpe em que envolve manipulação psicológica com o objetivo de conseguir informações particulares. Uma das táticas mais comuns é o phishing, uma forma de fraude eletrônica.  O golpe visa adquirir dados pessoais de diversos tipos: senhas, dados financeiros e número de cartões de crédito.



Para conseguir seu objetivo, o fraudador se passa por uma pessoa ou empresa confiável enviando uma comunicação eletrônica oficial. A abordagem pode ser feita por e-mail, messenger ou SMS, por exemplo. Ao ter acesso a esses dados, o hacker pode executar uma imensa variedade de crimes. O vídeo abaixo, produzida pela Deloitte, uma das maiores empresas especializadas em auditoria e gestão de risco do mundo, demonstra que um simples descuido pode causar prejuízos incalculáveis:

Evite compartilhar dados de acesso ao sistema com colaboradores do escritório ou parceiros. Tome cuidado ao acessar o seu e-mail ou software jurídico de computadores de terceiros, como lan houses, computadores de hotéis, feiras, etc. Caso seja essencial utilizar um computador externo, verifique se ele possui antivírus e firewall ativados. Navegue por meio de abas anônimas para não deixar o histórico de navegação e seus dados armazenados no computador.

Um software jurídico, como o SAJ ADV, bloqueia a tentativa de acessos consecutivos com usuários e senha incorretos. Além disso, registra todos os acessos ao sistema, com a informação de data, hora, usuário e endereço IP. Com essas informações o gestor do escritório pode monitorar os acessos indevidos ao software jurídico.

Software jurídico e armazenamento na nuvem

Reforçar a proteção de dados digitais é uma das principais vantagens de um software jurídico. Os processos, contratos e outros documentos são inseridos no sistema e ficam armazenados e protegidos na nuvem, com garantia contratual de backup e segurança de todos os arquivos. Outras medidas visam assegurar o sigilo e a preservação da segurança nas comunicações. Entre elas se encontra o uso do protocolo HTTPS (HTTP Seguro), que criptografa a troca de informação entre o computador do advogado e a aplicação. É uma tecnologia adotada por instituições financeiras e organizações que precisam cumprir requisitos de segurança em transações online.

Um software jurídico trabalha com uma série de procedimentos capazes de aumentar a segurança de informações. O programa garante que os dados serão acessados apenas por pessoas autorizadas. Entre as medidas que reforçam a proteção está a criptografia dos dados, dificultando seu acesso a quem estiver mal-intencionado.

Mas lembre-se de que apenas um software jurídico não é suficiente para deixar um escritório de advocacia seguro. É importante alertar todos os colaboradores dos riscos que podem estar correndo e orientá-los sobre como evitar ataques. Golpistas costumam se valer da boa vontade de funcionários solícitos para agir. Conscientizá-los a respeito da importância da segurança dos dados é o primeiro passo para se proteger de invasores. Uma equipe bem treinada pode fazer a diferença. Medidas simples de precaução, como não compartilhar senhas ou tokens, podem evitar grandes problemas.

Para fazer o download gratuito, basta você clicar AQUI.

Quer ficar por dentro das novidades sobre gestão de escritório de advocacia? Faça seu cadastro e receba os materiais exclusivos do SAJ ADV diretamente em seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *